Data: 07/11/2019 14:11 / Autor: Bignardi Junior / Fonte: PMSCS

Superliga Feminina: São Caetano/São Cristóvão Saúde estreia contra Osasco Audax

Jogo será na terça-feira (12/11), às 20h, no Ginásio José Liberatti, em Osasco


Crédito: Divulgação / Osvaldo F./Contrapé

O São Caetano/São Cristóvão Saúde esteve presente em todas as edições da Superliga Feminina de Vôlei, e já sabe quem será seu adversário na estreia da edição 2019/2020. Será o Osasco Audax, na terça-feira (12/11), às 20h, no Ginásio José Liberatti, em Osasco.

A equipe do técnico Fernando Gomes vem para esta competição com um elenco bastante alterado com relação à temporada passada. As principais mudanças são as entradas de jovens jogadoras, como os casos da central Fernanda e da ponta Natália (1,93 m), ambas de 24 anos e que representaram Brasília na última edição da Superliga.

Outras jovens promessas são a oposta Domingas, a Dodo, de 25 anos e que jogará contra sua ex-equipe, e a central Gabriella, de 22 anos e que disputou a última edição no vice-campeão Praia Clube (Uberlândia). A baixa média de idade do time se completa com as remanescentes da temporada 2018/2019 como a líbero Paulina, apenas 20 anos, e a levantadora Ana Flávia, de 22 anos.

A juventude do time terá como alicerce a experiência de atletas como a ponta Sonaly Cidrão, de 26 anos, em sua quinta temporada no time, e a levantadora Ana Cristina, de 37 anos, que disputou a última Superliga pelo Curitiba e chega para a sua terceira passagem por São Caetano.

A disputa do Campeonato Paulista serviu como base para dar a chamada ‘liga’ para a competição nacional. “Temos a Ana Cristina, a Sonaly e a Domingas como mais experientes, mas também atletas que precisam ganhar vivência como titulares. A Natália teve uma boa experiência como titular em Brasília e busca regularidade, pois já jogou a Superliga, foi bem e precisa dar sequência. A Ju Mello jogou a Superliga B inteira, também tem um pouco mais de experiência. A Fernanda entrou em alguns jogos em Brasília e a Gabriella veio do Praia Clube, mas participou pouco. Precisamos encaixar todo mundo e trabalhamos para melhorar alguns fundamentos, como o saque, pois temos as juvenis, que estão começando a crescer e precisam de oportunidade”, analisou o treinador Fernando Gomes, que disputa sua primeira Superliga no comando do time são-caetanense.

Crédito: Divulgação / Osvaldo F./Contrapé

Comente aqui