Data: 14/07/2020 11:58 / Autor: Mark Ribeiro / Fonte: PMSCS

São Caetano se prepara para testar vacina contra a covid-19


prefeito José Auricchio Júnior e reitor da USCS, Leandro Prearo
prefeito José Auricchio Júnior e reitor da USCS, Leandro Prearo

Crédito: Eric Romero / PMSCS

A USCS (Universidade Municipal de São Caetano do Sul) prepara a sua estrutura para iniciar os testes da vacina contra a covid-19. Nesta terça-feira (14/7), foi assinado o termo de colaboração com o Instituto Butantan, ratificando a autarquia como um dos 12 centros de pesquisas do País escolhidos para esta terceira e última fase de testes da CoronaVac, desenvolvida pelo laboratório chinês Sinovac Biotech.

“É motivo de muito orgulho para nós, de São Caetano do Sul, participarmos de um projeto em prol da humanidade”, frisou o prefeito José Auricchio Júnior, durante encontro com o reitor da USCS, Leandro Prearo, na noite de segunda-feira (13/7), no Palácio da Cerâmica. “Estamos adaptando os nossos laboratórios para receber os equipamentos do Instituto Butantan e iniciarmos os testes”, afirmou Prearo.

Na mesma data, o governador João Doria anunciou o lançamento da plataforma para a triagem de voluntários no estudo, disponibilizada no portal www.saopaulo.sp.gov.br/coronavirus/vacina.

Os testes (um dos mais avançados do mundo) serão aplicados em 9 mil profissionais da Saúde do País que estejam atuando no atendimento a pacientes com covid-19. Entre os critérios de seleção também estão: não ter sofrido infecção provocada pelo novo coronavírus; não ter participado de outros estudos; e não ter doenças instáveis ou que precisem de medicações que alterem a resposta imune - mulheres não podem estar grávidas ou planejando gravidez nos próximos três meses.

No Estado de São Paulo, além da USCS, participam do estudo o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP, Instituto de Infectologia Emílio Ribas, Hospital Israelita Albert Einstein (estes três da Capital); Hospital das Clínicas da Unicamp (Campinas), Faculdade de Medicina de São José do Rio Preto e o Hospital das Clínicas da Faculdade de Medicina da USP de Ribeirão Preto.

As pesquisas serão realizadas, ainda, na Universidade de Brasília (UnB); no Instituto Nacional de Infectologia Evandro Chagas, no Rio de Janeiro; no Centro de Pesquisa e Desenvolvimento de Fármacos da Universidade Federal de Minas Gerais; no Hospital São Lucas da PUC do Rio Grande do Sul e no Hospital das Clínicas da Universidade Federal do Paraná.

Comente aqui