Data: 27/08/2020 15:07 / Autor: Suzel Tunes / Fonte: PMSCS

São Caetano acolhe angústias de educadores durante pandemia

Projeto desenvolvido pelo Cecape, tem se dedicado a preservar a saúde mental dos servidores da Rede Municipal de Ensino


Cuidando de quem cuida: Prefeitura de São Caetano acolhe angústias de educadores durante pandemia
Cuidando de quem cuida: Prefeitura de São Caetano acolhe angústias de educadores durante pandemia

Crédito: Letícia Teixeira/PMSCS

Além de ameaça à saúde do corpo, a pandemia do novo coronavírus também tem se tornado uma ameaça à saúde mental. Os educadores, entre o desafio das aulas à distância e as incertezas acerca do futuro, estão entre as categorias profissionais mais afetadas. Mas, desde o início da pandemia, um projeto desenvolvido pelo Cecape (Centro de Capacitação do Profissional da Educação) Drª Zilda Arns, da Prefeitura de São Caetano do Sul, tem se dedicado a preservar a saúde mental dos servidores da Rede Municipal de Ensino, por meio de escuta, acolhimento e, quando necessário, encaminhamento a atendimento terapêutico.

Segundo a formadora do Cecape Patrícia Aparecida David, o projeto “Cuidando de quem cuida” é o desdobramento de uma iniciativa, que já existia desde o ano passado, com orientadoras e professores auxiliares de direção (Proaudi). Com a supervisão da psicóloga Maíra Mello Silva, as educadoras realizavam rodas de conversa para a troca de vivências, aconselhamento e apoio mútuo. “Quando veio a pandemia, achamos que seria importante dar continuidade online”, relembra Patrícia.

Inicialmente, foram organizadas pequenas reuniões virtuais, por meio da ferramenta Google Meet, para a equipe gestora. O projeto estendeu-se, depois, na forma de lives para os outros profissionais da comunidade escolar, como professores, inspetores, merendeiras, serventes e porteiros. A psicóloga Maíra conduz as reuniões e as interações se dão pelos comentários.

“Este tem sido um período muito difícil, de solidão”, ressalta a merendeira Lourdes Georgia de Almeida, 54 anos, que trabalha na EMI (Escola Municipal Integrada) Maria Simonetti Thomé, no Bairro Cerâmica. “É muito bom a gente perceber que, mesmo com o distanciamento, não estamos sozinhos. A live foi uma troca de experiência muito válida. Ser acolhido é sempre muito gostoso.”

O projeto conta com o apoio do Cedigi (Centro de Pesquisa, Formação e Inclusão Digital), da Secretaria de Educação, para a realização das lives; da Universidade Federal do ABC, que desenvolveu uma oficina de meditação, e da USCA (Unidade de Saúde da Criança e do Adolescente), que disponibilizou um profissional de saúde mental para o atendimento terapêutico das pessoas que necessitarem

QUANDO PROCURAR AJUDA

Nos encontros pelo Meet e nas interações que ocorrem pelas lives, sentimentos como tristeza, medo e ansiedade diante das incertezas do momento atual são os mais expressos. E isso é perfeitamente normal. Mas, quando esses sentimentos persistem numa intensidade muito grande, quando não se tem controle sobre eles ou quando eles trazem prejuízo à rotina diária pode ser que a situação esteja saindo da normalidade.

É como esclarece a psicóloga Maíra Mello Silva. “Emoções fazem parte da nossa vida. Medo e ansiedade são sentimentos que têm função de proteção e, no caso de uma pandemia, nos ajudam a tomar os cuidados necessários. Assim, se preciso sair à rua, o medo da doença me lembrará de que devo usar uma máscara. Mas, se o medo é grande demais a ponto de me impedir de sair ou, mesmo, de causar sintomas físicos, como tremedeira e suor, talvez seja hora de buscar ajuda profissional”, explica Maíra.

ONDE ENCONTRAR AJUDA

Além do atendimento especialmente direcionado a professores e profissionais de saúde (por meio do Projeto Escuta), a Prefeitura também abriu um canal para todos os munícipes que precisam de orientações, acolhimento ou ajuda de um profissional da saúde mental. O atendimento é de segunda a sexta, das 8h às 17h. Para emergências, o atendimento é no CAPS AD.

USCA (para menores de 18 anos) 4233-7546

CAPS (adultos) 4233-7502

CAPS AD (problemas relacionados com álcool e drogas) 4233-7540

Acolhimento ao Idoso: segunda a sexta, das 8h às 14h – 4233-7557

 Lourdes Georgia de Almeida, merendeira da Secretaria de Educação
Lourdes Georgia de Almeida, merendeira da Secretaria de Educação

Crédito: Letícia Teixeira/PMSCS

Comente aqui