Data: 19/06/2019 17:10 / Autor: Suzel Tunes / Fonte: PMSCS

Escola de São Caetano realiza projeto de conscientização sobre poluição marinha

Alunos da Escola Municipal de Ensino Fundamental 28 de Julho, localizada no Bairro Barcelona, resolveram adotar o problema do lixo marinho como tema de pesquisa no Mês do Meio Ambiente


Cenário produzido com recicláveis
Cenário produzido com recicláveis

Crédito: Letícia Teixeira/PMSCS

O resultado das pesquisas dos 6º e 7º anos, orientados pela professora de Ciências Michelle Aline Vieira Costa, foi a criação de uma instalação no pátio da escola. Usando materiais recicláveis, criatividade (e até bichinhos de pelúcia trazidos de casa) os estudantes reproduziram um ambiente marinho com muito plástico invadindo a cena e ameaçando a vida marinha.

Coube a um grupo de 15 estudantes do 7º ano, com idades entre 12 e 13 anos, apresentarem às turmas do Fundamental I o que aprenderam durante a pesquisa. E não se intimidaram: em várias sessões, deram aulas que atraíram a atenção dos colegas menores e encheram de orgulho a professora Michelle e a coordenadora do Fundamental II, Alessandra Freire de Abreu.

A aluna Ana Beatriz Di Sordi Juras diz que não tinha noção da quantidade de lixo que é jogada nos rios e mares. “A gente sabia que havia muito lixo, mas não tanto, nem que matava tantos animais”, acrescenta Júlia Jacobs. Alúria Housso Yavo colocou-se no lugar dos animais: “Eu não ia querer morrer só porque comi um plástico pensando que era comida”, diz. E Lorena Lopes impressionou-se com as previsões: “Em 2050 vai existir mais plástico do que peixe nos oceanos!”

PLÁSTICO DE SÃO CAETANO VAI PARA CENTRO DE RECICLAGEM

O excesso de plástico nos oceanos, ameaçando a vida marinha, é um tema que tem atraído atenção crescente de pesquisadores e ambientalistas. Estima-se que pelo menos 25 milhões de toneladas de resíduos são despejadas por ano, a maioria proveniente da má gestão de resíduos sólidos nas cidades.

A cidade de São Caetano do Sul possui um sistema de coleta seletiva porta a porta que atende 100% do município, realizada pelo Saesa (Sistema de Água, Esgoto e Saneamento Ambiental). E a Educação faz o papel de conscientizar os cidadãos, desde cedo, da importância do descarte correto dos resíduos. Cumprindo esse papel, a EMEF 28 de Julho também espera ser uma das escolas associadas da Unesco, que propôs o desenvolvimento sustentável como um dos temas de 2019.

Comente aqui