Data: 24/04/2013 16:59 / Autor: Redação / Fonte: Fundação Pró-Memória

Dia do Livro movimenta Fundação Pró-Memória


Durante o evento, o público prestigiou diversas instalações, entre elas, uma grande cascata de livros e enciclopédias
Durante o evento, o público prestigiou diversas instalações, entre elas, uma grande cascata de livros e enciclopédias

Crédito: Helber Aggio

A noite de ontem (23) agitou a Fundação Pró-Memória com a comemoração do Dia Internacional do Livro, celebrado com o projeto Letras da Imaginação, promovido em parceira com a Academia de Letras da Grande São Paulo, a Biblioteca Paul Harris e a Academia Popular de Letras, na sede da entidade (Av. Dr. Augusto de Toledo, 255, Bairro Santa Paula).

Cerca de 70 pessoas estiveram presentes e puderam conferir, ao som do saxofonista Roque Gomes, diversas instalações, sendo uma delas uma grande cascata de livros e enciclopédias montada no hall do prédio, integrando os quatro equipamentos culturais. “Este encontro serve para valorizar as pessoas que gostam das letras, das artes e que produzem. Falar de livros, de história e de literatura é um presente para nós”, afirmou Sonia Xavier, presidente da Pró-Memória, na ocasião.

O artista Renato Brancatelli também fez uma montagem com livros-relicários, que fazem parte de sua coleção pessoal, tendo como tema as quatro estações do ano, e outra com livros entintados. Régis Ribeiro também participou do evento. Com um livro-objeto (de arte), que podia ser manuseado pelo público, ele registrou diversas técnicas de pesquisa e retratou experiências de seu cotidiano.

Além das instalações ainda foram promovidos sarau literário, troca de livros, noite de autógrafos com escritores da região e lançamento de obras. Entre elas está Trovas do Amor Ausente, de Gioconda Labecca, presidente da Academia de Letras da Grande São Paulo. “O livro instrui, dignifica e nos faz conhecer regiões longínquas. Quem não lê, mal ouve, mal fala, mal vê”, disse.

Dia do Livro – O dia 23 de abril foi instituído pela Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) em 1996 como Dia Internacional do Livro, no aniversário de morte do escritor espanhol Miguel de Cervantes.

Comente aqui