Data: 21/10/2019 11:49 / Autor: Bignardi Junior / Fonte: PMSCS

3º Festival Nipo-Brasileiro é realizado com sucesso no Chico Mendes

Reverenciando a colônia japonesa, a Prefeitura de São Caetano do Sul e a Associação Cultural Nipo-Brasileira realizaram o 3º Festival Nipo-Brasileiro neste fim de semana (19 e 20/10)


3º Festival Nipo-Brasileiro é realizado com sucesso no Espaço Verde Chico Mendes
3º Festival Nipo-Brasileiro é realizado com sucesso no Espaço Verde Chico Mendes

Crédito: Letícia Teixeira / PMSCS

O festival foi organizado pela Secult (Secretaria de Cultura) e cerca de 10 mil pessoas estiveram presentes nos dois dias, entre elas o prefeito José Auricchio Júnior e o deputado estadual Thiago Auricchio, que prestigiaram a gastronomia, a música, a dança e toda a cultura nipônica.

“É sempre uma grande alegria participar do Festival Nipo-Brasileiro, pois a cultura japonesa tem muito a nos ensinar, e quando eu falo no plural é porque o Ocidente, de uma forma geral, tem muito a aprender com os japoneses, como caráter, valores morais e éticos, senso de família, entre muitas outras coisas. Queria parabenizar o secretário João Manoel da Costa (Secult) pela organização e dizer que este festival tem tudo para entrar no calendário oficial de festejos de São Caetano”, enalteceu o prefeito.

Compartilhando da mesma ideia do chefe do Executivo são-caetanense, o deputado estadual Thiago Auricchio ressaltou o fato de que o povo japonês é um povo muito alegre. “Além do mais, adoro a culinária japonesa”, complementou Thiago.

ATRAÇÕES

Quem acompanhou os dois dias de festival pôde presenciar atrações como Shinkyo Daiko (tambores japoneses) e apresentações de ilusionismo (mágica). “É sempre muito gratificante poder apresentar um pouco da nossa cultura, do que nossos antepassados nos passaram, como cultura, educação, entre outros valores. Por isso, queria agradecer em público ao prefeito José Auricchio Júnior pelo apoio ao festival, que sem dúvida foi um grande sucesso”, finalizou o presidente da Associação Cultural Nipo-Brasileira, Eduardo Banno.

Comente aqui