Data: 28/06/2016 15:27 / Autor: Vladimir Ribeiro / Fonte: PMSBC

Pesqueiros de SBC recebem placas de certificação ambiental

Placa atesta que estabelecimentos cumprem metas ambientais do Programa Pesqueiro Sustentável


Crédito: Raquel Toth

“No início estávamos receosos, pois acreditávamos que teria caráter punitivo. Porém, as ações educativas do programa nos mostraram o contrário e, hoje, temos estabelecimentos mais atraentes ao público e somos melhores administradores do que há três anos.” A afirmação é de Alexandre Viola, proprietário do Pesqueiro Sol, um dos oito participantes do Pesqueiro Sustentável, iniciativa da Prefeitura de São Bernardo.

Nesta terça-feira (28), os estabelecimentos participantes do programa receberam placas de certificação ambiental, entregues pelo prefeito de São Bernardo, Luiz Marinho, e pelo secretário de Gestão Ambiental, João Ricardo Guimarães Caetano. No mesmo dia foi lançado o Manual das Boas Práticas do Pescador.

O programa, que começou em 2013, tem o objetivo de impulsionar as atividades econômicas de empreendimentos que utilizam recursos naturais do entorno da Represa Billings.

O prefeito lembrou que o programa Pesqueiro Sustentável é parte de um trabalho maior da Administração municipal para o incentivo ao turismo, que envolve, entre outras coisas, as rotas ecoturisticas e de gastronomia. “Temos um grande potencial para atrair turistas nesses setores e estamos trabalhando para que os serviços já oferecidos sejam sustentáveis e gerem empregos”, disse.

Oito pesqueiros do município participam do Pesqueiro Sustentável: Sol Pescarias, Pesqueiro Nabel, Pesqueiro JM, Pousada dos Pescadores, Pesqueiro Tomodati, Pesqueiro Amigos da Natureza, Pesqueiro Takamori's e Pesqueiro Pedra Branca.

Por meio da iniciativa, os estabelecimentos foram vistoriados e os proprietários tiveram assessoria técnica e receberam equipamentos para a coleta de resíduos, de linhas e apetrechos de pesca. Também foram feitas palestras sobre manejo do pesqueiro e dos peixes, vigilância ambiental, legislação ambiental, vistorias técnicas em pesqueiros modelo, coleta e análise da água das lagoas e orientação para tratamento das águas, entre outras medidas.

Também foram doadas cerca de 300 mudas de árvores de espécies nativas da Mata Atlântica para contribuir com a recuperação e enriquecimento florestal das áreas dos pesqueiros, especialmente as de preservação permanente, que têm papel fundamental na produção e manutenção da qualidade da água.

Uma operação bota-fora foi realizada exclusivamente para os pesqueiros, objetivando a limpeza e melhor organização dos espaços.

O secretário de Gestão Ambiental, João Ricardo, destacou que a entrega das placas é a conclusão de uma etapa do programa e atesta a avaliação positiva dos pesqueiros em relação às metas de sustentabilidade. “Com essas ações conseguimos aprimorar a atividade de pesca nesses locais e incrementar o turismo ambiental e sustentável”, destacou.

O programa prevê também contrapartidas a serem realizadas por parte dos pesqueiros, como a adequação da infraestrutura, melhor organização do espaço, cuidado com a higiene e limpeza nas áreas de pesca e de alimentação, instalação de mais lixeiras; manutenção de equipamentos já instalados; implantação da coleta consciente de linhas, anzóis e boias; reformas em cozinhas e áreas de limpeza de peixe; padronização de quiosques; instalação de placas de cunho ambiental; retirada de entulhos e materiais inservíveis; tratamento da água que é usada para consumo e o plantio de árvores.

O desempenho de cada pesqueiro foi avaliado durante 2015, culminando com uma nota final atribuída a cada pesqueiro. Como se trata de programa que busca a melhoria, a avaliação continuará, de forma a permitir uma atualização da nota dada aos proprietários a cada ano.

Quanto ao Manual, a diretora do departamento de Gestão Ambiental, Gabriela Priolli de Oliveira, explicou que a ideia é incentivar que os pescadores ajudem a manter as melhorias feitas nos estabelecimentos. “O manual, que será distribuído pelos pesqueiros, traz dicas de descarte de linhas, anzóis, resíduos dos peixes, entre outras”, disse.


Comente aqui