Data: 18/06/2019 17:37 / Autor: Kati Dias / Fonte: PMSBC

Escola de São Bernardo é uma das vencedoras do programa Educar para Transformar

Com o projeto “Me Chama Que Eu Vou”, EMEB Profª Annita Magrini Guedes recebe prêmio do Instituto MRV para implementar Espaço Maker na unidade escolar


Escola municipal de São Bernardo é uma das vencedoras do programa Educar para Transformar
Escola municipal de São Bernardo é uma das vencedoras do programa Educar para Transformar

Crédito: Gabriel Inamine/PMSBC

A EMEB Professora Annita Magrini Guedes, do bairro Baeta Neves, foi uma das vencedoras do programa Educar para Transformar, promovido pelo Instituto MRV, com o projeto “Me Chama Que Eu Vou”. A ação se baseia na metodologia da Aprendizagem Criativa e na criação de um Espaço Maker. O objetivo do projeto foi premiar iniciativas inovadoras em ambiente escolar.

Com a premiação, a gestão da escola tem como meta envolver alunos na construção desse espaço diferenciado. O intuito é tornar o aprendizado mais envolvente e gerar uma mudança de atitude em relação à frequência escolar. Segundo o diretor José David, a ideia é transformar a escola em um ambiente atrativo para as crianças. “Essa é a preocupação que permeia o nosso trabalho enquanto educadores. A escola deve ser atraente, não repelente”, disse.

Antes mesmo do resultado, divulgado na tarde desta terça-feira (18/06) pelo Instituto MRV, o novo espaço havia começado a ganhar forma graças ao projeto Escola Linda, no qual a Prefeitura de São Bernardo investiu R$ 17,3 milhões em zeladoria, manutenção e conservação das 182 escolas municipais em 2019. Os repasses feitos pela iniciativa criada pela atual Administração somam R$ 30 mil por escola em 2019.

A secretária de Educação, Sílvia Donnini, fez questão de parabenizar toda a equipe pela conquista e também ressaltou a importância do desenvolvimento de novas formas de aprendizagem na rede municipal de São Bernardo. “A BNCC (Base Nacional Comum Curricular) trouxe maior inovação no pensamento computacional no ensino. Este aspecto é priorizado no programa pedagógico de São Bernardo e oferece aos alunos novas capacidades para a resolução de problemas e colabora com o aprendizado”, disse.

ESCOLA PREMIADA – A EMEB Profª Annita Magrini Guedes também foi premiada em ações voltadas à sustentabilidade. A escola foi destaque em duas premiações com o projeto “Em busca de uma escola sustentável”. Em 2018, a escola foi a vencedora no Prêmio Desafio 2030, na categoria Ensino Fundamental I. A premiação fez parte da programação da Virada Sustentável SP.

Em 2017, a unidade escolar foi a única representante do Estado de São Paulo entre os finalistas do Prêmio ANA, organizado pela Agência Nacional de Águas, premiando projetos de todo o país que combatem a poluição, o desperdício de água e contribuem para a gestão e o uso sustentável dos recursos hídricos. A premiação contou com 612 instituições, divididas em nove categorias.

APRENDIZAGEM CRIATIVA – A rede municipal de São Bernardo é referência na Aprendizagem Criativa e Educação Maker. Recentemente realizou a 3ª edição do Scratch Day, no Cenforpe, e em setembro receberá a 2ª Conferência Brasileira de Aprendizagem Criativa, organizada pelo MIT (Instituto de Tecnologia de Massachussets, nos EUA) e Universidade de São Paulo (USP), com apoio da Prefeitura.

A Pasta ainda realiza o investimento descentralizado em ações nesta modalidade por meio do Programa de Repasse às APMs (Associação de Pais e Mestres). Oito escolas municipais, espalhadas em diferentes bairros, foram escolhidas como polo em Aprendizagem Criativa, e receberam aporte de mais de R$ 20 mil para compra de materiais e equipamentos, como impressora 3D.

Além disso, o Município investiu recursos em todas as 182 escolas da rede municipal para aquisição de materiais como kits de robótica, de encaixe, placas de arduíno, entre outros. As unidades escolares também podem utilizar os recursos de “Bens Permanentes” que correspondem a até 10% do valor do Plano de Trabalho  para investir na iniciativa. O investimento total no Programa de Aprendizagem Criativa em 2019 é de R$ 1,8 milhão.

Crédito: Gabriel Inamine/PMSBC

Comente aqui