Data: 29/06/2016 22:02 / Autor: Helder Marques / Fonte: PMSBC

Construção do Hospital de Urgência começa no segundo semestre

Luiz Marinho, na cerimônia de lançamento da pedra fundamental do hospital, realizada nesta terça-feira, no estacionamento do PS Central, garantiu o início das obras


Crédito: Valmir Franzoi

As obras do novo Hospital de Urgência, que substituirá o Hospital e Pronto-Socorro Central (HPSC), começam no segundo semestre deste ano, provavelmente no início de setembro. A garantia foi dada pelo prefeito Luiz Marinho em solenidade de lançamento da pedra fundamental do hospital, realizada nesta terça-feira (29), no estacionamento do PS Central. A secretária de Saúde, Odete Gialdi, lembrou que os recursos para a construção estão assegurados, por meio de financiamento junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Odete afirmou que a Prefeitura volta a tomar iniciativa “corajosa e ousada”, após a construção do Hospital de Clínicas Municipal: “Estamos nos desafiando com a construção de mais um hospital na cidade. É algo incomum, porque a construção de hospitais geralmente atravessa várias gestões”, disse. A secretária explicou que o atual prédio do PS Central é dos anos 1970 e já não comporta a demanda de pacientes porque não há espaço físico para ampliações. “Tudo que foi possível fazer em termos de adequações físicas já fizemos, mas estamos falando de um hospital que não tem elevador nem centro cirúrgico, o que é inconcebível nos dias de hoje.”

O prefeito Luiz Marinho afirmou que a saúde era o principal problema apontado pela população quando assumiu a Prefeitura, em 2009. “Neste ano, fizemos 20 assembleias do Orçamento Participativo e não surgiu uma única demanda da saúde, o que demonstra o trabalho que realizamos, graças muito ao esforço dos trabalhadores da saúde. Não adianta termos equipamentos e edifícios se os profissionais de saúde não se empenharem no atendimento. É gente cuidando de gente”, disse.

Representando os trabalhadores do HPSC, Sandra Maria Fernandes dos Santos ressaltou a importância da construção de um novo hospital que atenda as urgências e emergências: “Precisamos de mais espaço físico para atender melhor a população. Com o novo hospital, o SUS vai se consolidar ainda mais em São Bernardo.”

A superintendente do HPSC, Renata Martello, lembrou que o atual PS é a unidade que mais atende usuários em toda rede municipal, cerca de 900 pessoas por dia. “O prédio atual tem apenas cinco mil metros quadrados. O novo HU terá 17.500 m², sete pavimentos e três salas cirúrgicas”, destacou.

Ao final da cerimônia, foi descerrada placa alusiva. Na base dessa placa, foram depositadas fotos do atual PS, o convite do evento, um exemplar do boletim do Complexo Hospitalar e perspectivas e plantas arquitetônicas do HU.

Projeto arquitetônico - O novo hospital será erguido na área contígua ao atual HPSC, em um terreno que abrange as ruas Joaquim Nabuco, Secondo Modolin e Cacilda da Cruz Ferreira. O projeto do HU prevê a construção de um edifício de sete pavimentos (térreo mais seis andares), além de um prédio auxiliar para abrigar uma base do SAMU. O HU terá 226 leitos e 40 poltronas.

As dependências do hospital incluem recepção, unidade de decisão clínica, sala médica, farmácia, sala pediátrica, unidade de observação pediátrica, sala de procedimentos, inalação, raio X, unidade de cuidados intensivos, sala de operações, unidade de cuidados pós-anestésicos, laboratório de microbiologia, esterilização, capela, agência de transfusão de sangue, cafeteria, auditório, biblioteca, solário, laboratório de práticas, área de enfermagem e sala de discussão de casos.

O projeto arquitetônico do HU preocupa-se com a sustentabilidade e a humanização dos ambientes. Nesse sentido, o edifício privilegia a iluminação e a ventilação natural, além de contar com recepções amplas, esperas distintas dos pacientes pediátricos e adultos por caminhos diferentes e espaços que oferecem condições de trabalho adequadas aos profissionais e de conforto aos pacientes e familiares. O projeto prevê ainda a construção de uma praça que irá acomodar adequadamente o ponto de ônibus e a área reservada aos táxis. As obras têm prazo de conclusão estimado em 24 meses.

Além da construção do HU, os recursos do empréstimo junto ao BID, no valor de US$ 139,1 milhões, serão utilizados na reforma e ampliação do Hospital da Mulher, reforma e ampliação da Policlínica Rudge Ramos, aquisição de equipamentos e mobiliário, implantação de sistemas de informatização e em ações de qualificação da gestão.

Comente aqui