Data: 27/05/2022 16:23 / Autor: Redação / Fonte: Unipar

Unipar comemora 53 anos com expansão na planta de Santo André

Com investimento de R$100 milhões, a companhia vislumbra crescimento de 15% tanto na capacidade de produção da unidade como na produção nacional


Unipar
Unipar

Crédito: Divulgação

A Unipar - líder na produção de cloro e soda e uma das maiores na produção de PVC na América do Sul - completa 53 anos no próximo dia 28 e, para celebrar a data, amplia o escopo da unidade localizada em Santo André (SP) com a implantação de equipamentos em um projeto que terá investimentos na ordem de R$100 milhões.

Como resultado será possível elevar a capacidade de produção de cloro e soda na unidade de Santo André em cerca de 15% e a produção de ácido clorídrico da companhia em 15% no país. Com a conclusão da implantação do projeto, a capacidade instalada da Unipar para produção anual de cloro, soda e ácido clorídrico chegará a 545 mil toneladas, 615 mil toneladas e 755 mil toneladas, respectivamente.

O projeto, com previsão de entrar em operação no próximo ano, conta com a instalação de um eletrolisador -- dispositivo que permite, através de um processo químico (eletrólise), quebrar as moléculas de sal e da água em cloro, hidrogênio e soda cáustica através da eletricidade -- e de um forno para a produção de ácido clorídrico com capacidade de 91 mil toneladas ao ano.

“Esse investimento reforça tanto nosso planejamento com foco no crescimento sustentável, como a saúde financeira da companhia. Isso nos permitirá contribuir, ainda mais, com o potencial aumento de demandas para seguirmos atendendo os mais diferentes segmentos e principalmente, em torno do marco do saneamento no país”, afirma Mauricio Russomanno, CEO da Unipar.

A primeira etapa de implantação do projeto foi a obra de preparação do local onde será instalado o forno. A previsão é que o funcionamento do novo processo esteja previsto para o segundo semestre de 2023.

A expansão da unidade faz parte do planejamento estratégico da companhia que envolve a diretriz de sustentabilidade. A ação ampliará a captura de carbono, utilizando energia renovável limpa para produzir cloro, soda cáustica e gerar hidrogênio verde, que será reutilizado no próprio processo produtivo, como insumo na fabricação de ácido clorídrico.

“Com o uso do hidrogênio verde, gerado a partir de fontes de energia renováveis, substituiremos parte do uso do gás natural e teremos uma redução da emissão de cerca de duas mil toneladas de gases do efeito estufa”, ressalta Pedro Röhl, diretor da unidade.

Comente aqui