Data: 19/05/2022 09:40 / Autor: Rafaela Mazarin / Fonte: Secom-PSA

Santo André realiza evento para celebrar Dia Mundial de Doação de Leite Humano

Iniciativa foi realizada no Hospital da Mulher e foi voltada para profissionais e doadoras de leite cadastradas no banco de leite


Banco de Leite Humano - Hospital da Mulher
Banco de Leite Humano - Hospital da Mulher

Crédito: Helber Aggio/PSA

A Secretaria de Saúde de Santo André promoveu nesta quarta-feira (18), no Hospital da Mulher Maria José dos Santos Stein, uma palestra em comemoração ao Dia Nacional de Doação de Leite Humano, comemorado nesta quinta-feira (19). As mães doadoras também foram homenageadas e puderam trocar experiência entre elas. Na manhã desta quinta, outras palestras serão realizadas no auditório do hospital.

A primeira palestra trouxe para debate o tema “História da Amamentação” ministrada pela professora assistente da disciplina de neonatologia da Faculdade de Medicina do ABC, Dra. Simone Holzer. Também foi realizada uma palestra com a nutricionista e supervisora do Banco de Leite, Luciene Barbosa dos Santos, com a campanha de doação de leite. Na quinta-feira as palestras seguem sendo realizadas no hospital com o tema "colosterapia", ministrada pela Dra. Claudia Giolo, coordenadora da UTI neonatal do hospital.

A professora Mariluci Aparecida da Silva, de 34 anos, estava grávida de seis meses quando teve um problema de pressão em novembro de 2021 e teve que ser submetida a uma cesariana de urgência. Com apenas 27 centímetros e pesando pouco mais de 500 gramas, a pequena Maria Fernanda nasceu no Hospital da Mulher e segue sendo assistida na UTI neonatal. Há seis meses, além do leite da mãe, ela se alimenta com as doações do banco de leite.

“Ela foi o meu milagre e estamos há seis meses na batalha. É difícil porque a produção diária do meu leite não é suficiente para ela, por isso que a gente agradece as doadoras, porque são elas que ajudam a alimentar minha filha todos os dias”, comenta Mariluci. “As mães que tem vontade de amamentar e têm o filho na UTI não podem desistir e ter desespero. Faz seis meses que eu estou aqui e mesmo quando sai uma quantidade pequena de leite, mesmo que só agora ela tenha vido para o peito, eu não desisti e é a sensação mais gratificante que existe”, completa.

Dos 42 bebês que estão na UTI do Hospital da Mulher, 28 fazem uso do Banco de Leite. “Esse leite materno recebido para quem doa pode ser pouco, mas para nós toda gota importa, o bebê recebe um ou dois mililitros. Esse leite vai salvar a vida do bebê internado na UTI neonatal e permitir que ele tenha uma vida melhor, diminuindo a mortalidade infantil”, explica a supervisora do Banco de Leite do hospital, Luciene Barbosa dos Santos.

Neste momento o Hospital da Mulher conta com 89 litros de leite em estoque, o que representa 74% do volume ideal de abastecimento. Apesar de contar com 37 doadoras fixas, o hospital constantemente trabalha na busca ativa de novas doadoras para garantir o abastecimento do estoque. Cada frasco com 300 ml pode beneficiar até dez bebês. Pessoas que fazem uso de bebidas alcoólicas, cigarro, receberam transfusão sanguíneas ou tenham sorologia inadequada não podem fazer a doação.

A moradora do bairro Cata Preta, Jaqueline Lopes, de 33 anos, doa cerca de quatro frascos por semana. “Meu bebê têm cinco meses e eu faço doação desde o primeiro mês. Na primeira consulta com a pediatra, ela indicou a doação pois a minha produção de leite sempre foi muito grande. Eu fui tocada no coração por essa campanha e abracei a causa. Eu me sinto realizada, achei que eu não poderia amamentar por fatores genéticos e eu poder amamentar e doar me traz uma alegria imensa”, diz.

Como doar - O Banco de Leite Humano do Hospital da Mulher atende de segunda a sexta, das 8h às 18h. Para doar, é preciso ligar no telefone 4478-5048 ou 4478-5027. É realizado um cadastro e agendada uma visita à casa da doadora para o recolhimento do leite. A mãe deverá retirar o excedente e armazená-lo segundo orientações.

Todo o leite doado passa por um processo de pasteurização e é submetido a controles de qualidade antes de ser distribuído aos bebês prematuros e outros bebês que são clinicamente impossibilitados de recebê-lo do seio materno. Há também serviços de orientação e tira-dúvidas sobre aleitamento materno.

O hospital também recebe doação de frascos de vidros com tampas de plástico, como os de maionese ou café solúvel. Esse material é esterilizado e seguro, pois é resistente ao congelamento e descongelamento. O processo faz com que o leite não perca seus nutrientes e a tampa de plástico evita que se acumulem cheiro e resíduos.

Comente aqui