Data: 14/09/2015 15:03 / Autor: Marcos Imbrizi / Fonte: Secom PSA

Restauro de casas da Vila Martin Smith, em Paranapiacaba, tem início

Recuperação de antiga casa de engenheiro, que abriga a atual biblioteca, já foi finalizada


As casas de alvenaria das Ruas Nova e Campos Salles são as primeiras a passarem por restauro
As casas de alvenaria das Ruas Nova e Campos Salles são as primeiras a passarem por restauro

Crédito: David Rego Jr/PSA

As obras de restauro com recursos do PAC Cidades Históricas continuam a todo vapor na Vila de Paranapiacaba. A novidade é o início dos trabalhos em oito casas de alvenaria nas Ruas Nova e Campos Salles, na parte baixa da Vila, que estavam desocupadas. No total, 242 imóveis da Vila Martin Smith deverão ser recuperados nos próximos três anos.

De acordo com o secretário de Gestão de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense, Ricardo Di Giorgio, outra boa novidade é o término do restauro da antiga casa de engenheiro, a atual biblioteca. “As obras do PAC Cidades históricas já foram finalizadas. Agora realizamos a manutenção da parte elétrica e hidráulica do local”, disse. Ainda segundo o secretário, estão em andamento os restauros dos galpões das oficinas de manutenção, do almoxarifado da antiga São Paulo Railway, da garagem das locomotivas, que abrigará a estação do Expresso Turístico que liga a estação da Luz a Paranapiacaba.

O secretário Ricardo Di Giorgio destaca ainda que os trabalhos de restauro, que tiveram início em maio, estão dentro do previsto. “Nestes primeiros meses conseguimos manter o cronograma de obras de cada um dos projetos já iniciados”, finalizou.

RESTAUROS – Além das obras já citadas, estão previstos ainda restauros do campo de futebol do Serrano Athletic Club, clube de futebol da Vila fundado em 1903, um dos primeiros com medidas oficiais em todo o Brasil, que garantirá novos vestiários e arquibancadas, além de um palco que poderá ser utilizado como espaço para shows; da sede da antiga Sociedade Recreativa Lyra da Serra, que resgatará a sala de cinema que funcionou no local no início do século XX, uma das primeiras em todo o Brasil, e de uma casa na região do Hospital Velho. As obras contam com financiamento do governo federal, no total de R$ 41 milhões, por meio do Plano de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas.

Comente aqui