Data: 18/09/2019 13:31 / Autor: Marcos Imbrizi / Fonte: Secom PSA

Projetos do Fundo Municipal de Cultura começam a ser implementados

Cinco projetos aprovados tiveram início em agosto


Projetos do Fundo Municipal de Cultura de Santo André começam a ser implementados
Projetos do Fundo Municipal de Cultura de Santo André começam a ser implementados

Crédito: Divulgação

Cinco projetos financiados com recursos do Fundo Municipal de Cultura de Santo André começaram a ser implementados em agosto. Com atuação em áreas como cinema, rádio, economia criativa, música e literatura, os trabalhos são realizados por coletivos culturais e agentes culturais em diversas regiões da cidade. No total, serão investidos mais de R$ 144 mil.

O diretor de Projetos Especiais e Planejamento da Secretaria de Cultura, Marco Moretto, lembra que após cinco anos, o Fundo Municipal de Cultura volta a ser utilizado para financiar projetos da produção cultural andreense. “Este é o primeiro edital após o debate e a elaboração do novo Fundo Municipal de Cultura, regulamentado no ano passado. O último repasse havia sido feito em 2014”, comentou.

Ainda de acordo com Moretto, esta edição, que contemplou os atuais projetos, foi destinada a ‘Projetos Colaborativos Descentralizados’ e visou fomentar ações em regiões periféricas, a formação de redes e o fortalecimento de grupos e núcleos culturais. “O incentivo visa dar impulso inicial para que a ação tenha continuidade, mesmo depois de finalizado o financiamento", comentou.

Projetos – O projeto ‘Economia Criativa, Feira Bazar’, do artista Tota, realizado na região do Centreville, busca fortalecer e divulgar as ações de arte local, bem como propor o aquecimento da economia entre produtores, artistas e clientes daquela região. O projeto recebeu R$ 18.200. ‘Favela na Tela’ é o nome do trabalho da ONG MDDF (Movimento de Defesa dos Direitos dos Moradores dos Núcleos Habitacionais de Santo André, implementado em locais como a Vila Sacadura Cabral, Vila Palmares, Núcleo Tamarutaca e Jardins Cristiane e Alzira Franco.

A iniciativa visa resgatar e registrar a memória coletiva local através de vídeos. O trabalho recebeu quase R$ 40 mil. ‘Conta-Encontra’, de Patricia Nogueira, tem por objetivo promover o convívio entre mulheres da Vila Floresta e Bom Pastor. A partir de vivências, elas debaterão a questão da mulher periférica na cidade e produzirão contos. O projeto recebeu pouco mais de R$ 10.800.

Coordenadora do projeto ‘Favela na Tela’, Carolina Estéfano, afirma que atualmente o coletivo faz contatos com os parceiros do projeto, como o Sesc Santo André, a Escola de Cinema e Vídeo, além das lideranças das comunidades participantes. Segundo a coordenadora, as inscrições para as oficinas de vídeo estão abertas e têm uma boa procura por parte dos moradores. A previsão é que sejam finalizados até dezembro e exibidos em seguida.

Sobre o projeto, Carolina destaca que é uma oportunidade para os moradores debaterem e mostrarem as potencialidades das comunidades. “Podemos inclusive descobrir novos talentos destes locais”, afirmou.

Outro projeto em andamento é o ‘Coletivo Culturando Ocupa’, que percorrerá a cidade realizando ocupações com o intuito de desenvolver atividades como música, canto, produção de instrumentos com sucata, além de curso de desenho, artesanato, técnica de filmagem e registro fotográfico com celulares, entre outras. A iniciativa será levada à região leste de Santo André e recebeu cerca de R$ 35,5 mil. E o músico, produtor cultural e radialista Celso Zappa é o responsável pela ‘Oficina de rádio, territórios culturais e comunidades’, que realiza oficinas radiofônicas. O projeto recebeu R$ 40 mil.

Diretor-responsável da rádio comunitária de Santo André Zummm FM, Celso Zappa comenta ue a iniciativa visa resgatar a importância do rádio para a cidade e a região, que chegou a contar com nove emissoras AMs e FMs. “Nosso projeto visa resgatar esta história e oferecer oportunidade ao público de conhecer o universo radiofônico e, quem sabe, profissionalizar algum participante”, afirmou. Para o radialista, o Fundo de Cultura é importante ao viabilizar projetos nas mais diversas áreas da cultura.

 Histórico – O Fundo Municipal de Cultura de Santo André funciona desde 1990. Neste período já financiou cerca de 150 projetos culturais. Depois de passar por alterações em 2015, a Secretaria de Cultura abriu o primeiro edital de financiamento direto para projetos em dezembro passado. No total foram inscritos 42 propostas, das quais cinco foram aprovadas e começaram a ser implementadas em agosto de 2019.

Comente aqui