Data: 14/11/2019 15:03 / Autor: Redação / Fonte: PMSA

Pintura da Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André, é revitalizada

Ação contou com parceria de empresas do entorno, que doaram materiais


Pintura da Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André, é revitalizada
Pintura da Casa da Palavra Mário Quintana, em Santo André, é revitalizada

Crédito: Helber Aggio/PSA

O prédio histórico que abriga a Casa da Palavra Mário Quintana, no Centro de Santo André, foi revitalizado nesta semana. A pintura externa foi alvo de diversas pichações no últimos meses e agora recebeu nova cobertura de tinta.

A pintura dos 800 m² trouxe uma correção na cor utilizada na fachada. A tinta aplicada na última pintura, em 2013, não era a especificada pela equipe técnica da Secretaria de Cultura em projeto realizado nos anos 2000.

O Comdephaapasa (Conselho Municipal de Defesa do Patrimônio Histórico, Artístico, Arquitetônico-Urbanístico e Paisagístico de Santo André) acompanhou o processo e averigou a cor utilizada.

A ação contou com a participação das empresas Calçados Pixolé, Nivaldir, Mercadão das Tintas, Chalé do Pão de Queijo, 2º e 3º Tabelião de Notas, Pastelaria Yamayo e Giramundo, a maioria do entorno, que fizeram a doação de seis latas de tinta de 18 litros, além de pincéis, rolos, argamassa, lixas e massa corrida.

“Percebemos o orgulho que as pessoas têm da Casa da Palavra e o anseio dos comerciantes do Centro em restaurar o equipamento e embelezar a região. A doação dos materiais reforçou o sentimento de que a Casa é de todos”, explicou Sonia Varuzza, coordenadora do equipamento. A pintura foi executada por funcionários da Prefeitura.

Diálogo – Durante abertura da exposição “100 Rostos Underground”, da artista Prila Maria, a Casa da Palavra iniciou contato com pessoas que se definem como Escritores de Rua. “Conversamos com pessoas que sempre se esconderam e ouvimos que centros culturais com portas abertas nunca são pichados. E a Casa da Palavra está aberta a todas as manifestações culturais”, disse Sonia Varuzza.

“O próprio trabalho da Prila veio por meio da convocatória chamada Okupa e foi contemplado com datas para a residência artística, quando ela produziu retratos para a exposição. Observando esta demanda, pretendemos realizar uma oficina de Escrita de Rua no próximo ano e continuar este trabalho de ampliação do diálogo”, completou.

Histórico – A Casa da Palavra, criada em 1992, é um espaço cultural de debate e reflexão sobre a cultura contemporânea, com foco nas artes da palavra. Realiza encontros, seminários, palestras, exposições, saraus e cursos. A Lei nº 7.242, de 7/4/1995, deu sua denominação atual: Casa da Palavra Mário Quintana.

O prédio foi construído no início dos anos 1920 para servir de residência a Antonio Queirós dos Santos e sua esposa, D. Paulina Isabel de Queirós. O sobrado foi alugado pela Prefeitura na década de 1930 e posteriormente adquirido, tendo sido usado para várias finalidades, inclusive como Gabinete do Prefeito. O imóvel é reconhecido como Patrimônio Cultural da cidade pelo Comdephaapasa desde 1992.

Comente aqui