Data: 17/04/2013 10:04 / Autor: Daniela Mian / Fonte: Secom PSA

GCM retoma projeto Anjos da Guarda

Apresentações serão realizadas nesta quarta-feira (17) em duas sessões no Teatro Municipal


Anjos da Guarda - 2010 - Arquivo
Anjos da Guarda - 2010 - Arquivo

A GCM (Guarda Civil Municipal) de Santo André retoma nesta quarta-feira (17) o projeto Anjos da Guarda. As apresentações de reestreia serão realizadas no Teatro Municipal em duas sessões (às 9h e às 13h) para crianças de 3º a 5º ano da rede municipal de ensino.

Desenvolvido em 2010 pela GCM, o programa Anjos da Guarda tem como objetivo prevenir e orientar crianças, jovens e adultos, em relação ao bullying, à violência e aos efeitos nocivos das drogas, por meio de linguagens artísticas. A iniciativa, que conta com o apoio da Secretaria de Educação, já envolveu cerca de 30 mil alunos das redes de ensino público municipal e privado. “Os assuntos abordados pelos guardas não são simples de ser passados às crianças, mas a técnica desenvolvida é muito interessante”, afirma o secretário de Educação, Gilmar Silvério.

Por meio de fantoches, jogos de interação social, brincadeiras, apresentações musicais ao vivo e peças teatrais, o programa tem abordagem de acordo com a faixa etária do público. Usando da interatividade, os alunos são motivados a se tornar também multiplicadores, levando a mensagem para pais e familiares. As apresentações duram cerca de uma hora. “Nosso objetivo é fazer com que a comunidade se conscientize dos problemas das drogas e da violência que, infelizmente, estão presentes na vida de muitos. E as crianças, em um primeiro momento, são as principais multiplicadoras dessa prevenção”, explica o coordenador do programa, Antonio Marcos Oliveira.

A equipe do programa é formada por sete integrantes da GCM, que inicialmente participaram de curso de capacitação de agentes multiplicadores na prevenção ao uso indevido de entorpecentes, com duração de 40 horas, ministrado por representantes do Denarc (Departamento de Investigações Sobre Narcóticos). Além deste importante curso, a equipe participou de outro oferecido pela Senad (Secretaria Nacional Anti-Drogas) com 240 horas de duração, sobre uso indevido de drogas. O principal critério usado para a seleção dos integrantes foi não possuir nenhum tipo de vício, para que o funcionário também se sensibilizasse com o trabalho. “Queremos quebrar o estigma do guarda bravo, que só está lá para prender. Mostramos o guarda encaminhando o usuário de substâncias prejudiciais à saúde para o tratamento”, completa Oliveira.

Comente aqui