Data: 27/07/2015 15:45 / Autor: Redação / Fonte: PMSA

Festival de Inverno de Paranapiacaba encerra com público de mais de 50 mil pessoas

Último dia do 15º Festival de Inverno de Paranapiacaba contou com show Paulo Meyer & os Thunderheads, do Grupo Sambetto, entre outras intervenções culturais


Dia ensolarado contribuiu para o bom público no domingo
Dia ensolarado contribuiu para o bom público no domingo

Crédito: Anderson Pedro/PSA

Depois de inibir a participação do público devido às fortes chuvas e a neblina que caíram durante o dia de ontem (25), São Pedro colaborou e as temperaturas mais elevadas e o lindo dia de sol fizeram com que os fãs da boa música e das intervenções culturais comparecessem em bom número durante este domingo (26), para o último dia do 15º Festival de Inverno de Paranapiacaba. De acordo com a organização do evento, 15 mil pessoas passaram pelas partes, alta e baixa da Vila. No geral, durante os quatro dias – evento também foi realizado nos dias 18, 19 e 25 – cerca de 50 mil pessoas prestigiaram mais uma edição do FIP promovido pela Prefeitura de Santo André com o apoio do Sesc-SP, da rádio Eldorado FM e, do Instituto ACQUA.

“Encerramos o festival hoje com um grande sucesso. Foram quatro dias de evento com tudo dentro do planejado. O público, de mais de 50 mil pessoas, contribuiu e valorizou a festa, o que nos deixa bastante satisfeitos”, destacou o Secretário de Gestão de Recursos Naturais de Paranapiacaba e Parque Andreense Ricardo Di Giorgio ao avaliar como foi o FIP neste ano. Ainda de acordo com o secretário, não houve registro de ocorrências durante os quatro dias de festival.

A primeira atração deste domingo foi o show de um dos pioneiros do blues no Brasil, Paulo Meyer & os Thunderheads, no Palco do Mercado. Mais tarde, foi a vez do palco na Rua Direita receber o Grupo Sambetto. Enquanto o cantor Kleber Albuquerque, empolgou o público no fim da tarde, a performance de André Marchiori encerrou as intervenções musicais do evento. Durante o dia também foram realizadas as apresentações da banda Blues Beatles, além da cantora Iara Rennó.

“Acabamos de chegar, mas estamos adorando. Essa é a nossa primeira vez por aqui e esperamos poder aproveitar a oportunidade para experimentar o famoso Cambuci”, disse a fisioterapeuta paulista Aline de Castro, 29 anos, que visitou a Vila na companhia dos pais, do irmão e da cunhada. “O que mais chamou a nossa atenção foi esta arquitetura antiga. O lugar é mesmo muito lindo”, ressaltou o motorista Leomar Chuabe, de 33 anos que veio de Santos com a esposa em sua primeira vez à Paranapiacaba.

Outras ações que também contaram com o prestígio do público foram “Colódio de Bike”, laboratório móvel de fotografia instalado em uma bicicleta; do Cine Olho, com sessão de cinema mudo; Feira Livre do Vinil com LPs de todos os gêneros; Mapas Poéticos: Fluxos da Memória, Patrimônio dos Afetos; exposição: Paranapiacaba em Detalhes; interpretação teatral Tem Fantasma na Biblioteca; além da banda Red Hot Street Jazz que fez apresentação itinerante pelas ruas da Parte Baixa da Vila.


ESTRUTURA - Assim como nos dois anos anteriores, a estrutura do festival foi idealizada de forma a valorizar o patrimônio da Vila. Para tanto, alguns dos serviços foram instalados em prédios. Para atender o público o festival ofereceu praça de alimentação, banheiros químicos e esquema de segurança. Nos dias do evento o acesso à Vila teve de ser restrito a moradores e hóspedes das pousadas e pessoal que trabalhou no evento visando evitar uma superlotação.

Quem foi de automóvel teve que deixar o carro no estacionamento na rodovia de acesso á Vila, no entanto pode assegurar o traslado de ida e retorno ao estacionamento em ônibus de turismo gratuitos. Nos quatro dias do festival o público também teve a oportunidade de conferir o ônibus da campanha do Governo Federal “Crack, é possível vencer”, que permaneceu na parte alta da Vila, além de contar com ações educativas e de prevenção ao uso do crack.

NOVIDADES - Uma das principais novidades na edição deste foi o processo de restauro que promete dar nova vida a Paranapiacaba. Quem esteve por lá teve a oportunidade de conferir as obras nos Galpões do Almoxarifado e das Oficinas, na Garagem das Locomotivas e na Biblioteca. Ainda este ano terá início o restauro de 242 imóveis e outros espaços na parte baixa da Vila. As obras contam com financiamento do Governo Federal por meio do Programa de Aceleração do Crescimento (PAC) Cidades Históricas, num total de mais de R$ 41 milhões.

Outra novidade foi a candidatura da vila a patrimônio da Humanidade pela Unesco. Desde fevereiro de 2014 Paranapiacaba encontra-se na lista indicativa de bens culturais brasileiros do Comitê do Patrimônio Mundial da Unesco (Organização das Nações Unidas para a Educação, a Ciência e a Cultura) com vistas ao título de Patrimônio Mundial. Trata-se de uma candidatura inédita no Estado de São Paulo.

Comente aqui