Data: 04/07/2022 20:08 / Autor: Redação / Fonte: Prefeitura de Santo André

‘Ocupação’ de Cristina Suzuki no Salão de Exposições do Paço tem abertura nesta terça

Projeto, aprovado no Proac Expresso Lei Aldir Blanc, tem como novidade poder ser apreciado do lado de fora do prédio 24 horas por dia


Crédito: Divulgação / PSA

O Salão de Exposições do Paço Municipal recebe a partir desta terça-feira (5) a ‘Ocupação’, da artista Cristina Suzuki. O trabalho nasceu da série ‘Imprinting’, iniciada em 2012, na qual, a partir de um desenho inicial criado pela artista e combinado com ele mesmo em diferentes maneiras, com um carimbo, a artista transforma esse elemento – chamado por ela de ‘Figura 1‘ – em novas imagens sobre os mais variados suportes, proporções e arranjos. A novidade é que o Salão será ocupado de dentro para fora: durante o período da intervenção, o espaço permanecerá fechado e o público será convidado a acessar a obra da artista sem adentrar o local, mas apreciando do lado de fora, passando ao largo e contornando o prédio, o que poderá ser feito 24 horas por dia. O projeto foi aprovado no Proac Expresso Lei Aldir Blanc nº 50/2021.

Esta é a primeira vez que Cristina Suzuki realiza um projeto individual na cidade em que vive e trabalha há mais de 20 anos. Segundo a artista, a proposta é levar a arte contemporânea a um espaço importante para o cotidiano do município: o Salão de Exposições inaugurado na década de 1960 e que compõe o conjunto arquitetônico e urbanístico localizado no centro da cidade que foi projetado pelo arquiteto Rino Levi um dos maiores nomes do modernismo no Brasil e paisagismo do renomado artista brasileiro Roberto Burle Marx.

Para a artista, a ‘Ocupação’, mais do que uma exposição, pode ser traduzida como um evento que tem como proposta conversar com o espaço expositivo – o Salão de Exposições, localizado na Praça IV Centenário, no Centro da cidade, área que compreende o Paço Municipal do município e concentra os três poderes, Executivo, Legislativo e Judiciário, além do Teatro Municipal, a Biblioteca e o edifício da Secretaria de Cultura – com as suas características originais, como ele vem sendo disponibilizado ao público e como esse público interage com ele.

“Como artista, tenho um posicionamento de levar trabalhos para fora dos espaços institucionais de artes visuais, de deslocar o circuito de arte contemporânea até esse outro espaço no intuito de quebrar uma certa barreira que o circuito formal nos impõe. O que me proponho é trazer a arte contemporânea para o cotidiano, incentivar as pessoas a procurarem outros artistas e perceberem que nós, que trabalhamos com essa linguagem, estamos muito mais próximos do dia a dia delas do que se imagina, ocupando e nos relacionando com os mesmos espaços públicos”, afirma Cristina Suzuki.

‘Imprinting’ em espaços públicos - Cristina Suzuki realiza projetos que fomentam as artes visuais em toda região do Grande ABC, como orientação de artistas visuais, curadorias e produção cultural. O edital da Lei Aldir Blanc possibilitou à artista realizar esse tipo de ocupação anteriormente com mesmas premissas de ocupar e interagir com espaço público de Santo André.

“Desde que comecei a ocupar espaços externos, surgiu o desejo de criar instalações mais permanentes, fazendo com que esse trabalho reverbere na região em que eu mesma ocupo, como uma obra pública”, explica Suzuki. A obra pública de 150 metros instalada em 2021 no muro externo da Escola Estadual Papa João I – que fica no Parque Novo Oratório, bairro onde a artista mora e instalou seu ateliê – também foi aprovada por meio da Lei Aldir Blanc em 2020 e desdobrada em um minidoc.

Ainda no ano passado, em São Paulo, mais um projeto de Suzuki foi selecionado pela Funarte SP para ocupar seus espaços expositivos no Teatro de Arena Eugênio Kusnet e na parede externa Alex Vallauri no Complexo Cultural na Alameda Nothmann, que ainda está disponível para visitação.

Comente aqui