Data: 01/07/2016 10:11 / Autor: Redação / Fonte: PMETRP

Em nota, prefeitura explica acordo com Sindserv

Na manhã desta quinta foi firmado acordo entre Prefeitura e Sindicato dos Servidores Públicos de Ribeirão Pires, para pagamento de dissídio a todas as categorias de servidores municipais


Segundo acordo firmado, a Prefeitura se compromete em conceder 4,5% de dissídio mensalmente diluído entre os meses de agosto e outubro. Um novo diálogo será aberto em outubro para negociar o restante do pagamento, que dependerá da arrecadação e previsões orçamentárias.

A decisão foi tomada após diálogo entre o prefeito Saulo Benevides e a presidente do Sindserv, Simone Beatriz.

A Prefeitura reforça que o Governo Municipal ainda teme com que a queda na arrecadação se agrave, o que resulte em atrasos no pagamento de salários dos servidores. A medida, portanto, visa garantir os direitos dos trabalhadores públicos frente a severa crise que se agrava sobre o país.

Neste momento ações para contenção de gastos estão em andamento. Desde o ano passado os salários do prefeito e de todos os comissionados foram contingenciados em 15%; contratos com fornecedores, aluguéis e prestação de serviço foram revistos e cortes na folha de pagamento também foram realizados. Porém, no entendimento da Secretaria de Finanças, os cortes realizados até agora, que já representam verdadeiro sacrifício nos compromissos da Administração, ainda são insuficientes para garantir a concessão do dissídio com segurança de que todos os compromissos financeiros sejam mantidos em dia, o que não furta à Gestão a obrigação para com o funcionalismo público.

Desta maneira, após estudo realizado pela Secretaria de Finanças, fica concedido o dissídio de 4,5% divididos em parcelas mensais de 1,5% ao mês.

"Estamos passando por um sério problema financeiro em todo o país. Não temos segurança de que conseguiremos pagar os salários dos servidores em dia nos próximos meses, mas vamos continuar lutando para desenvolver a cidade e valorizando nossos servidores", declarou o prefeito Saulo Benevides.

"Fechamos um acordo com a Prefeitura para garantir os direitos dos trabalhadores. Temos ciência de que o valor é menor do que desejávamos ou do que a lei exige, mas também entendemos a realidade de nosso município e não podemos assumir a responsabilidade de acarretar em prejuízos em outros setores ou o funcionamento de serviços públicos por falta de pagamento", disse Simone do Sindserv.

Comente aqui