Data: 07/07/2016 08:39 / Autor: Redação / Fonte: PMM

Trabalhadores e usuários participam do movimento Em Defesa Do SUS

Aproximadamente 1.400 trabalhadores da saúde de Mauá debateram e publicaram fotos com frases de defesa no ato que aconteceu em todo o país


Crédito: Fabiana Pontes

Aproximadamente 70% do total de dois mil trabalhadores da Secretaria de Saúde de Mauá e vários usuários dos serviços municipais participaram do Ato em Defesa do SUS, realizado nesta quarta-feira (6), em todo o país. Empunhando cartazes com frases de efeito, como #MauápeloSUS, #MauápelacontinuidadedoMaisMédicos e #MauáemdefesadoSUS e promovendo debates internos, os participantes buscaram esclarecer sobre o que representa a redução de repasses federais para financiamento do Sistema Único de Saúde (SUS).

A base desse movimento está na possibilidade de aprovação do projeto de lei, PL 143/2015, que tramita no Congresso Nacional e prorroga a Desvinculação das Receitas da União até 2023. Com isso, poderá ser reduzido o recurso que já é considerado abaixo do necessário para manter as políticas públicas de saúde no país. Segundo discurso do ministro da Saúde Ricardo Barros, por ocasião de sua posse, o tamanho do SUS deve ser revisto. O sentido utilizado para a frase foi o de que a oferta deve ser reduzida por considerar os custos elevados. Ele afirmou, ainda, que é muito caro sustentar os direitos que a Constituição Federal garante.

Estas afirmações promoveram a concentração de esforços populares e dos segmentos ligados à saúde pública em todo o Brasil para criar o movimento em defesa do SUS. E foi assim que os trabalhadores e usuários da saúde integraram as manifestações desta quarta-feira, nos 43 serviços municipais de Saúde, desde o Serviço de Atendimento Móvel de Urgência (SAMU) e Farmácia Popular, primeiros alvos do corte de recursos, até nas Unidades Básicas de Saúde e Hospital de Clínicas Dr. Radamés Nardini.

Segundo alguns funcionários do setor, a mobilização deverá continuar para evitar o desmonte do SUS.

Comente aqui