Data: 16/08/2019 17:51 / Autor: Redação / Fonte: PMM

Acessuas Trabalho busca a inclusão social via mercado de trabalho

Programa Federal implementado em Mauá quer cumprir os direitos constitucionais


O programa se propõe a desenvolver ações que garantam os direitos de cidadania
O programa se propõe a desenvolver ações que garantam os direitos de cidadania

Crédito: Rodrigo Zerneri/PMM

Na quarta-feira,14, houve uma apresentação do Acessuas Trabalho, um programa do Governo Federal de inclusão de pessoas de alta vulnerabilidade no mercado de trabalho e renda. O programa, gerido pela Secretaria de Promoção Social é realizado em parceria com Associação Estrela Azul e tem como objetivo formar 300 pessoas entre 18 e 59 anos em oficinas de qualificação, para inserção no mercado de trabalho e na sociedade. 

O programa se propõe a desenvolver ações que garantam os direitos de cidadania às pessoas em situação de risco social a partir do acesso a serviços e da inclusão no mundo do trabalho. Com esse acesso, garantido pela Constituição Federal, pretende-se estimular o desenvolvimento de valores éticos, capacidade de trabalho, aumento no nível de escolaridade, autoestima e condições necessárias à empregabilidade e consequente melhora da situação socioeconômica.

A primeira turma, com 150 integrantes inscritos nos sete CRAS de Mauá em algum dos programas sociais, iniciou as oficinas em 1o de julho e deverá terminar em 27 de setembro. As atividades do Acessuas vão desde Ética até Inclusão Digital/Educomunicação, passando por direitos e responsabilidades, matemática no cotidiano, raciocínio lógico e até política.

O estudo sobre os participantes do Acessuas estabelece que 54,86% estão na faixa etária entre 30 e 59 anos de idade; 85% são do sexo feminino; no nível de escolaridade, 51% têm apenas o ensino Fundamental, a maioria incompleto; e a maior parte das demandas junto aos CRAS são nos setores de emprego (40%), saúde (30%) e educação (20%).

Durante a apresentação de resultados parciais dessa primeira fase, os dados mais discutidos foram a dificuldade de inclusão no mercado de trabalho, que busca qualificação cada vez mais alta. E, nas falas das secretarias envolvidas no projeto (Promoção Social, Educação, Saúde, Cultura, além de Trabalho e Renda) a palavra ‘inclusão’ vem acompanhada de capacitação e direitos adquiridos.

No final de setembro, mais 150 pessoas iniciarão essas oficinas do Acessuas com a intenção de sair da situação de vulnerabilidade social. A Associação EstrelaAzul, que realiza as oficinas nos CRAS, tem incluído jovens de 13 a 17 anos, não incluídos no programa como “alunos ouvintes”.


Comente aqui