Data: 29/06/2020 16:47 / Autor: Keila Macedo / Fonte: Secom Diadema

Pacientes com Covid-19 recebem visitas virtuais no Hospital Municipal de Diadema

Uso da tecnologia diminui tensão e ansiedade geradas pelo isolamento necessário durante a internação


Crédito: PMD

Durante o período de internação por covid-19, o paciente fica isolado e não pode receber visitas. Nessa situação, ouvir uma voz amiga ajuda a ter força para seguir e acreditar que a doença vai passar. Por isso, o Hospital Municipal (HM) de Diadema promove visitas virtuais para pacientes com suspeita ou confirmação de covid-19 internados no serviço.

O projeto “Visita Virtual – Acolhimento e Comunicação” teve início em 5 de maio e já beneficiou 55 pacientes. De acordo com a diretora de apoio assistencial do HM, Luiza Endo, o objetivo é preservar o vínculo entre familiares, oferecendo apoio emocional durante a internação e aliviando a tensão e a ansiedade geradas e agravadas pelo quadro da pandemia com a ruptura na rotina de visita presencial aos pacientes. “É uma maneira de demonstrar afeto e pertencimento. Essas ações e gestos propiciam ao paciente a conexão com o seu mundo, seus familiares e sua singularidade”, ressalta.

As visitas virtuais são realizadas de segunda a sexta-feira, pela equipe de acolhimento e comunicação do HM, composta por assistente social, psicólogas e terapeuta ocupacional. Durante o atendimento, a terapeuta oferece ao paciente, que esteja estável, a possibilidade de comunicação com o familiar por meio de vídeo, que é apresentado à família após boletim médico. Nesse momento, caso o familiar tenha interesse, também pode gravar um vídeo ou áudio resposta que será reproduzido ao paciente no dia seguinte. Todas as gravações são apagadas após a apresentação.

Para pacientes sem capacidade para comunicação verbal, é sugerido o envio de áudio para que seja reproduzido à beira do leito. “No caso dos pacientes sedados ou inconscientes, essas mídias têm sido um material riquíssimo para a estimulação sensorial auditiva e afetiva, além de manter a referência externa, agora privada pelo isolamento social. Ainda que a memória destes atendimentos não seja acessível após o despertar, os benefícios momentâneos do acolhimento e conforto justificam o empenho diário. Esse cuidado integral e integrado da equipe multiprofissional amplia os espaços de escuta e empatia dentro da UTI, valorizando a dimensão humana”, explicou a terapeuta ocupacional da UTI, Mirella Portela Trevisani.

O aparelho celular utilizado é embalado em saco plástico e higienizado com álcool 70% a cada abordagem, seguindo orientações da Comissão de Controle de Infecção Hospitalar (CCIH).

Após quase dois meses de visitas virtuais, a adesão do projeto chega a 100% dos familiares de pacientes internados. A ação tem impacto positivo na recuperação do paciente com a melhora de humor e autoestima. “No momento da abordagem, ele pode entrar em contato com sua história, resgatar seu cotidiano, mesmo que por alguns minutos e de forma adaptada. Isso faz com que o sujeito saia do mundo biológico da doença e alcance o mundo humano dos significados, com nova postura e sendo ativo em um ambiente tão adverso”, avalia a terapeuta.

Referência

O HM é referência para o atendimento de casos suspeitos e confirmados de covid-19. Atualmente, o município possui 61 leitos de enfermaria e 30 leitos de UTI exclusivos para atender esse público. No dia 9 de junho, o governo estadual anunciou mais 10 leitos que estarão sob gestão municipal.

Comente aqui