Data: 28/10/2021 10:32 / Autor: Redação / Fonte: PMD

Fundação Florestan Fernandes comemora 25 anos

FFF sediou uma roda de conversa em que se reafirmou a importância da instituição


Fundação Florestan Fernandes comemora 25 anos ressaltando legado educacional e social
Fundação Florestan Fernandes comemora 25 anos ressaltando legado educacional e social

Crédito: Dino Santos

Em cerimônia de comemoração de seus 25 anos, a Fundação Florestan Fernandes (FFF) sediou uma roda de conversa em que se reafirmou a importância da instituição para a cidade de Diadema e o seu legado educacional. O nome da Florestan Fernandes, uma alusão a um dos mais importantes intelectuais brasileiros do século XX, o sociólogo Florestan Fernandes (1920–1995), foi ressaltado por vários dos convidados, que lembraram as contribuições de Florestan para a educação e para a luta contra as desigualdades no país.

“É um orgulho para mim ter meu pai no nome dessa escola e é um orgulho também saber que aqui já foram formados mais de 60 mil jovens”, disse o jornalista e sociólogo Florestan Fernandes Júnior, filho de Florestan Fernandes, que ressaltou as dificuldades pelos quais seu pai passou na infância, recebendo uma educação “truncada”, bem como sua luta em diversas frentes, como educador, político e intelectual.

Segundo ele, seu pai foi um caso raro de um jovem pobre que foi para os bancos da universidade, tornando-se professor na Universidade de São Paulo e em conceituadas universidades internacionais.  “Apesar de chegar a todos os cargos nas principais universidades do mundo, continuava com seu povo, junto do trabalhador, trabalhando pela educação pública do seu país, que era o sonho dele.”

Analisando a situação atual do país e defendendo o legado da FFF, o prefeito José de Filippi Jr. Disse que fica “sempre emocionado e feliz ao constatar a trajetória dessa instituição”.  “Nosso país está na escuridão, e aqui estamos fazendo a nossa cantiga do que é possível fazer. Resistir.”

Também lembrando que essa instituição profissionalizante carrega o nome do professor Florestan Fernandes, a secretária de Educação, Ana Lúcia Sanches, lembrou a importância de considerar o trabalho no sentido “ontológico”, como momento “emancipador e criativo”, não “subalterno”. 

PANDEMIA

Ao comentar as dificuldades enfrentadas durante a pandemia, a vice-prefeita e secretária de Assistência Social, Patty Ferreira, citou os esforços empreendidos pela Fundação para manter as aulas em andamento. “Nessa pandemia, a Fundação Florestan Fernandes se inovou e ela conseguiu manter os cursos, mesmo que virtualmente, e assim conseguiu proporcionar a jovens, mulheres, homens, a educação profissional e a qualificação profissional que a gente espera e precisa.”

Já o diretor-presidente da FFF, Maninho, ressaltou a importância das parcerias com outras instituições para ampliar as oportunidades oferecidas aos moradores de Diadema via Fundação Florestan Fernandes.  “O objetivo nosso é buscar parcerias. Vários alunos nossos participam da direção de grandes empresas multinacionais, inclusive na nossa cidade, e queremos que saiam daqui produtores de televisão, câmeras etc.”

Também compuseram a mesa o presidente da Câmara Municipal, Josa Queiroz, o diretor técnico do Dieese (Departamento Intersindical de Estatística e Estudos Socioeconômicos) Fausto Augusto Júnior, e o empresário da área de comunicação Hélio Sileman. Os debates foram mediados por Lucas Rodrigues Lopes e Gilberto Alvarez Giusepone Jr., o Professor Giba, Presidente da Fundação Poli Saber.

O evento também teve depoimentos da professora Neilde Anjos e da ex-aluna e também professora Jennifer Luise, que indicou a honra que tem de ter estudado na Florestan

Crédito: Dino Santos

Comente aqui