Data: 24/10/2019 09:34 / Autor: Renata Nascimento / Fonte: PMD

Educação não formal em Diadema é tema de seminário internacional

O I Seminário Internacional de Educação Não Formal vai até sexta-feira (25/10) com trocas de experiências, shows e performances


Seminário Internacional de Educação Não Formal
Seminário Internacional de Educação Não Formal

Crédito: Adriana Horvath

Discutir a importância de diferentes atores na educação e trocar experiências entre países foram alguns dos objetivos do I Seminário Internacional de Educação Não Formal, que teve início nesta quarta-feira (23/10), no auditório da Fundação Florestan Fernandes (FFF). O evento é uma realização do Instituto Matéria Rima em parceria com Circo Tapias Voadores, Faculdade de Diadema (FAD), Casa da Economia Solidária da Secretaria de Desenvolvimento Econômico de Diadema, com o apoio da Secretaria de Educação de Diadema, Centro de Estudos e Pesquisas em Educação, Cultura e Ação Comunitária (Cenpec) e do Itaú Social.

Durante o seminário, os temas foram discutidos em eixos como ‘A história da educação não formal e sua relevância na atualidade’, “A aproximação da Educação não formal com a educação integral na organização do trabalho pedagógico’, ‘O papel da educação não formal na relação dialógica entre poder público, comunidade e territórios’ e ‘A construção de diferentes saberes no desenvolvimento das potencialidades de crianças, adolescentes e jovens’.

“A ideia do seminário parte da reflexão de que a escola não consegue lidar sozinha com toda a demanda que a educação traz. É preciso articular territórios e atores para que todos falem e façam educação. Todo mundo faz educação, seja na sala de aula ou fora da escola. Diadema é uma cidade modelo e temos práticas inovadoras na área”, afirma Joseane Silva, coordenadora pedagógica do Instituto Matéria Rima. Ela explica que o fundador do grupo conheceu o hip hop fora da unidade escolar. “A partir daí, ele construiu uma metodologia inovadora que fala dessa educação não formal, que é mais livre, que observa e escuta a criança e o jovem”, ressaltou.

O evento reuniu poder público e educadores brasileiros e de países como Alemanha e Finlândia para pensar em políticas públicas no campo da arte-educação dentro e fora de escolas públicas, visando construir, fortalecer e enriquecer os territórios de aprendizado.

Para a psicóloga e bailarina finlandesa, Lilli Huttula, o hip hop é um aspecto importante da cultural ocidental que permite ampliar a inteligência emocional. “Meu objetivo é que os jovens prestem atenção no que está acontecendo dentro deles, principalmente por meio da dança, que é a porta para o autoconhecimento e os sentimentos. Por isso, a cultura hip hop ajuda no empoderamento da pessoa e do próprio grupo”, garante a professora de dança e diretora executiva da organização sem fins lucrativos VKTY, a maior ONG de Street Dance da Finlândia.

Poder público

Diadema conta com o Programa Cidade na Escola, que oferece atividades culturais, esportivas e de letramento para alunos da rede municipal no contraturno escolar. “A educação não formal oferecida no Programa Cidade na Escola vem no intuito de fortalecer várias questões, como um déficit de aprendizado. Essas atividades melhoram seu rendimento e comportamento. A educação não formal vem complementar aquela realizada nas escolas. Tenho certeza que isso potencializa o trabalho desenvolvido e Diadema só tem a ganhar com isso”, afirmou o secretário municipal de Educação, Cacá Vianna.

O município também oferece opções para a família, como os cursos profissionalizantes do Fundo Social de Solidariedade. “Em 2013, instituímos o Fundo Social com uma metodologia que buscasse a formação profissional principalmente para as mulheres que estavam fora do mercado de trabalho. Oferecer a elas a oportunidade de um curso e ter sua própria renda nos trouxe resultados positivos”, explicou a primeira dama e presidente do Fundo Social, Caroline Rocha. “Já passamos de 5.500 atendimentos em cursos nas áreas de beleza, construção civil e culinária e isso é muito gratificante. Além de trabalhar com as crianças na educação não formal, precisamos empoderar sua família. A pessoa entende que o recurso financeiro dessa nova profissão pode ser aplicado nela mesma, investir nos filhos, melhorar a autoestima e buscar novas possibilidade, trabalhando de forma articulada para buscar um futuro melhor”, completou.

Serviço:

24 de outubro de 2019, quinta-feira

Das 10h às 12h. Local: Casa da Economia Solidária. Rua Prof. Evandro Caiafa Esquivel, 127 – Centro.

Das 10h às 12h. Local: FAD. Avenida Alda, 831 – Centro.

Das 14h às 16h. Local: Instituto Matéria Rima. Rua Guarani, 115 – Vila Conceição.

Das 14h às 16h. Local: Circo Escola Diadema. Avenida Afonso Monteiro da Cruz, 259 – Serraria.

25 de outubro de 2019, sexta-feira

Das 14h às 17h. Show e performance

Local: Fábricas de Cultura de Diadema. Rua Vereador Gustavo Sonnewend, Neto, 135 – Centro.

Comente aqui