Data: 23/04/2021 09:17 / Autor: Redação / Fonte: PMD

Diadema supera a marca de 57 mil vacinas aplicadas contra a Covid-19


Crédito: Divulgação

Segundo levantamento da Vigilância à Saúde do município, até o dia 19 de abril, foram aplicadas 57.219 doses de vacinas contra a Covid-19, sendo 42.758 primeiras doses (D1) e 14.461 segundas doses (D2).

O estudo mostra que, de um total de 50.412 pessoas aguardadas para vacinação acima de 60 anos, já foram imunizadas 29.017 com a primeira dose, ou seja 57,56% de cobertura, e 8.960 com a segunda dose, o que corresponde a 30,88% daqueles que já receberam a primeira dose e estão com o esquema vacinal completo.

As faixas etárias vacinadas prioritariamente com a Coronavac (cujo intervalo entre as duas doses é de 28 dias) apresentam cobertura vacinal mais elevada. É o caso da cobertura D2 dos idosos entre 80 e 84 anos que já atingiu 79,1% e dos idosos entre 75 e 79 anos que está em 64,16%.

Já os idosos na faixa de 90 anos ou mais e 85 a 89 anos a cobertura ainda é menor, uma vez que a maior parte deste público foi vacinada com a AstraZeneca (cujo aprazamento é de 12 semanas).

“Temos feito todos os esforços para avançar o mais rápido possível com a vacinação no município. Já fizemos três Dia D para ampliar o acesso da população, temos adotado postos volantes, investido na capacitação dos profissionais de saúde, buscado parcerias com outras Secretarias e entidades do município e, por meio do Consórcio Intermunicipal Grande ABC, Diadema tem participado das pactuações de intenção de compra de outras vacinas para que seja possível ampliar os grupos prioritários”, explicou Rejane Calixto, Secretária Municipal da Saúde.

Balanço

Até o dia 19 de abril, segundo dados do VaciVIDA, Diadema já recebeu do Programa Estadual de Imunização de São Paulo (PEI), 67.813 doses de vacina contra a COVID-19. Destas, segundo dados do município, já foram aplicadas 57.219 vacinas, o que corresponde a 84,3% em relação as doses recebidas.

Além dos idosos, o município já aplicou 10.813 primeiras doses e 5.501 segundas doses em trabalhadores da saúde.

Já entre os trabalhadores da educação acima de 47 anos, dos 3.030 profissionais elegíveis a tomar a vacina, 2.572 já garantiram a primeira dose, ou seja, 84,8% de cobertura.

O município aplicou ainda 356 primeiras doses em pessoas em situação de rua e trabalhadores da SASC (Secretaria Municipal de Assistência Social e Cidadania) envolvidos diretamente no acolhimento de pessoas em situação de rua e com abrigamento e da população em situação de rua. Esta vacinação está sendo realizada em parceria com a Coordenação de Saúde Mental e os Centros de Atenção Psicossocial (CAPS) da cidade.

“Temos 10,1% da população vacinada com a primeira dose, mas ainda estamos com uma cobertura baixa de segunda dose nesta população, especialmente para os maiores de 70 anos que já podem receber a D2 e ainda não retornaram ao serviço. Então fica nosso apelo para que as pessoas confiram suas carteiras de vacinação e compareçam às UBS na data agendada para completar o esquema vacinal”, explicou Franciele Finfa da Silva, coordenadora da Vigilância à Saúde.

Importância da segunda dose

Segundo informações da Sociedade Brasileira de Imunizações (SBIM), a proteção gerada pelas vacinas decorre da capacidade que elas têm de induzir nosso sistema de defesa a produzir imunidade, seja por meio da ação de células ou de anticorpos específicos.

No caso das vacinas contra a COVID-19 produzidas pelo Instituto Butantan/Sinovac (Coronavac) e pela Fiocruz/Universidade de Oxford/AstraZeneca a quantidade de anticorpos suficiente contra a doença é obtida por volta de 15 dias após a segunda dose.

Entretanto, mesmo após esse período, como ainda não teremos obtido a imunidade coletiva (70 a 80% de cobertura vacinal na população brasileira (exceto a população infantil), será necessário continuar com as medidas de prevenção contra o novo coronavírus: distanciamento físico, higienização constantes das mãos e uso correto de máscara de proteção individual.

Comente aqui