Data: 11/09/2019 17:04 / Autor: Beatriz Lucas / Fonte: PMD

Aulas de Astrobiologia em Diadema rompem barreiras da linguagem

Projeto ensina questões do universo para alunos surdos


EMEE Olga Benário Prestes
EMEE Olga Benário Prestes

Crédito: Mauro Pedroso

Desde o início do ano, a EMEE Olga Benário Prestes, em parceria com a instituição LUCA – Ciência para Educar, está desenvolvendo projeto que inclui aulas de Astrobiologia para 31 alunos surdos. A Astrobiologia é o estudo da origem, evolução, distribuição e futuro da vida no universo.  O principal desafio foi adequar a Astrobiologia à Libras e tornar cada aula acessível. “Os alunos estão trabalhando uma linguagem diferente. A Astrobiologia não existe em Libras e eles estão desenvolvendo uma nova linguagem. É uma experiência única e satisfatória perceber a descoberta que a ciência traz. É um mundo com novas oportunidades para nossos alunos”, ressaltou a chefe de Gabinete da Prefeitura de Diadema, Caroline Rocha, após acompanhar uma das aulas.

“Adaptar os conteúdos em Libras nem sempre é uma tarefa fácil. É preciso contextualizar para que essa aprendizagem seja de fato significativa. Pesquisar e realizar trocas entre a comunidade surda, para definirmos alguns sinais que ainda não são encontrados nos dicionários de Libras, tem sido um dos trabalhos dos alunos da EMEE Olga Benário”, afirmou a coordenadora pedagógica da escola, Ana Paula Guedes.

As crianças realizam atividades sobre vários temas da Astrobiologia, desde exoplanetas (que são planetas fora do Sistema Solar), extremófilos (microrganismos que vivem em condições extremas), além da composição atmosférica de Marte e sua comparação com a Terra.

Durante as aulas, surgem diversas perguntas. Desde como os astronautas se alimentam no espaço até como eles tomam banho, se dormem em pé ou não. A curiosidade é uma das principais características das crianças. Descobrir o mundo em que elas vivem é algo que resulta em questionamentos: Como nascemos? Por que tal coisa é desse jeito? Por que inventaram aquilo? Para que serve isso?

Em pesquisa realizada pela Universidade da Califórnia, com o objetivo de estudar como a curiosidade é despertada, foi revelado que ela prepara o cérebro para a aprendizagem e torna esse processo mais gratificante e efetivo. Na EMEE Olga Benário a estratégia foi a introdução das aulas de Astrobiologia, que além de despertar a curiosidade, pode chamar a atenção até para a escolha da profissão. No caso da aluna Lívia Silva Araújo, o objetivo não é ser uma astrobióloga e, sim, professora para mostrar que a ciência é algo que pode ser aprendido de uma maneira coletiva e, acima de tudo, acessível para todos. “Quando eu era pequena, sonhava, imaginava, como era a Lua, como eram as estrelas. Eu tinha muita vontade de conhecer, mas na minha casa ninguém sabia conversar sobre isso. Com as aulas de Astrobiologia meu conhecimento foi aumentando. Eu gosto muito. No futuro eu quero ser professora e ensinar as crianças”, comentou Lívia Silva Araújo.

As aulas de Astrobiologia também estão gerando resultados na Educação de Jovens e Adultos (EJA). “Os benefícios da Astrobiologia foram muitos. Despertou e manteve o interesse dos alunos assim como a curiosidade, auxiliou no desenvolvimento de habilidades, no pensamento crítico e na resolução de problemas do cotidiano relacionando aos conceitos básicos da Ciência. Ampliou, também, consideravelmente, o vocabulário na Língua Brasileira de Sinais (Libras), criando novos sinais para palavras”, explicou a professora da EJA, Maria do Carmo Galhego de Marchi.

Microscópio

As aulas ficarão ainda mais interessantes após a doação de um microscópio realizada na última terça-feira, 10/09, pelo Cartório de Registro de Imóveis, Títulos e Documentos e Civil de Pessoa Jurídica de Diadema. A doação é resultado da Maratona Aqueça, campanha do agasalho realizada todos os anos pelo cartório. Com parte das peças doadas foi organizado um bazar. O valor arrecadado foi doado a EMEE Olga Benário para que efetuasse a compra do microscópio.

“Temos muito claro a nossa responsabilidade em relação ao meio em que estamos inseridos. A nossa intenção é sempre deixar esses locais melhor do que encontramos. Enxergamos como uma forma de multiplicar esforços e de  nos envolver com a comunidade”, relatou a registradora de imóveis, TD e Pessoa Jurídica de Diadema, Patrícia André de Camargo Ferraz.

“As crianças vão poder tirar muito proveito desse equipamento. O microscópio permite expandir bastante a percepção das crianças. Além disso, vai facilitar no desenvolvimento das atividades de Astrobiologia”, explicou o professor e fundador da LUCA, Claudio Mendes.

Seja a mudança que você quer ver no mundo

Outro projeto que a escola está desenvolvendo é o “Seja a mudança que você quer ver no mundo”, ação coletiva envolvendo os alunos, professores, funcionários, parceiros, pais de alunos e a comunidade escolar. O projeto será finalizado em 5/10.  O objetivo é promover melhorias no entorno da escola, com a implantação de uma horta comunitária, jardim na rotatória, grafite nos muros das casas, instalação de lixeiras, entre outros.

Comente aqui