Data: 14/05/2021 11:46 / Autor: Redação / Fonte: PMD

2º Festival Cultura Solidária abre as portas para a arte com raízes populares

Coletivo Calundu apresentará ao público, no próximo sábado (15), o Tambor de Crioula da Dona Teca, Mucambos de Raiz Nagô e a magia Brincante do Boneco Popular de Celso Ohi


 Mucambos de Raiz Nagô
Mucambos de Raiz Nagô

Crédito: Divulgação/PMD

Se na estreia a música ditou o ritmo do evento, desta vez, o 2º Festival Cultura Solidária, que acontece no próximo sábado (15), dará um passo adiante e abrirá as portas também para outros tipos de arte.

A segunda edição da live idealizada pela Prefeitura de Diadema, por meio da Secretaria de Cultura, terá entre as suas atrações o Coletivo Calundu, que apresentará ao público as tradições das artes populares que fincaram raízes em Diadema, mas nem sempre conseguem espaço para se manifestarem.

Batizado de Chegança de Cá, Chegança de Lá, o espetáculo audiovisual será dividido em três partes com oito minutos cada. São elas: Tambor de Crioula da Dona Teca, Mucambos de Raiz Nagô e a magia Brincante do Boneco Popular de Celso Ohi.

"Estamos fazendo um recorte sobre as manifestações culturais que habitam em Diadema. São três brinquedos maravilhosos, três potências, que o público terá a oportunidade de conhecer", define o produtor cultural e membro do coletivo, Fred José.

Renata Reis, também do Calundu, completa: "A permanência da pandemia por mais de um ano está impactando terrivelmente os trabalhadores do setor cultural da cidade. A Prefeitura De Diadema ao realizar o festival supre a necessidade básica que é o alimento."

O Coletivo é formado por artistas pretos, periféricos e LGBTQIA+ que acreditam na arte como um meio de transformação social. O grupo tem "dupla cidadania": nasceu na região Sul de São Paulo e em Diadema no ano de 2016 por meio do encontro de artistas que "têm como propósito potencializar a arte periférica dentro das periferias".

O coletivo é formado por Filipe Fontes, Fred José, Renata Juliana Reis, Tainara Nagot e  Yasmin Paulino.

"Vamos apresentar esses mestres sob a perspectiva de quem também estuda essas culturas. Queremos, de certa forma, eternizar o trabalho de cada uma dessas pessoas que apresentaremos nos vídeos", finaliza o ator e também produtor cultural Filipe Fontes.

Campanha contra a Fome

O Festival Cultura Solidária, mais uma vez, acontecerá de braços dados com a campanha “Sua Vida Importa pra Mim e Sua Fome me Incomoda”, lançada durante a primeira edição do evento e que, desde então, tem levado comida à mesa das famílias em situação de vulnerabilidade social de Diadema.

As doações de qualquer tipo de alimento não perecível podem ser feitas durante toda a duração da live por meio do drive thru montado no Teatro Clara Nunes. Aos que desejarem contribuir em dinheiro, é preciso acessar o site da campanha. Confira:

http://combateafome.diadema.sp.gov.br/

Comente aqui