Data: 21/02/2019 13:57 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Lilian Trigo

O descolado Oscar independente

Como todos os anos, o prêmio Spirit acontece na véspera da entrega do Oscar. E este ano tem brasileiro concorrendo!


A entrega do Independent Spirit Awards já se tornou uma tradição: anualmente ela acontece na véspera do Oscar e, muitas vezes, reúne os mesmos indicados. Não é incomum ver atrizes como Cate Blanchett e Jennifer Lawrence desfilando no tapete vermelho com trajes informais. Comparado à caretice do Oscar, o Spirit é pura descontração.

Em sua 34ª edição, o prêmio parece corrigir as falhas cometidas pela Academia. Na categoria de melhor direção, ao contrário do Oscar, a maioria das concorrentes é mulher. Debra Granik, Tamara Jenkins e Lynne Ramsay concorrem com Paul Schrader e Barry Jenkins.

Com maior número de indicações, “Nós, os Animais”, comovente drama dirigido por Jeremiah Zagar, ainda inédito no Brasil, fez uma vitoriosa carreira em festivais vencendo sete prêmios, incluindo o de inovação do Festival de Sundance.

Apesar de o Spirit manter sua essência independente, alguns nomes aparecem em ambas indicações, como Glenn Close, Regina King, Adam Driver e Richard E. Grant nas categorias de interpretação. Paul Schrader, um dos roteiristas favoritos de Martin Scorsese, é presença constante no prêmio – esta é sua quarta indicação – mas no Oscar recebeu sua primeira indicação por “No Coração da Escuridão”. “Roma” e “Assunto de Família”, aparecem na lista de melhor filme estrangeiro nos dois prêmios. O mesmo acontece com os documentários “Hale County This Morning, This Evening” e “Minding the Gap”, ainda sem data de lançamento no Brasil.

O diretor Luca Guadagnino, derrotado no ano passado com seu “Me Chame pelo Seu Nome” para “Corra!”, de Jordan Peele, retorna, desta vez para receber o prêmio Robert Altman pelo filme “Suspíria”.

A produção brasileira “Sócrates”, de Alex Moratto, concorre em três categorias. O diretor está indicado para os prêmios especiais Someone to Watch Award e o John Cassavetes Award. O estreante Christian Malheiros enfrenta a dura concorrência de atores veteranos, como Ethan Hawke e Joaquin Phoenix, mas sua impressionante interpretação já lhe rendeu os prêmios do juri dos festivais Mix Brasil e Mannheim-Heidelberg International Filmfestival.

Outra característica do Spirit é contemplar tanto o talento quanto o esforço dos diretores. São distribuídos prêmios especiais, como o John Cassavetes, que contempla filmes com orçamento inferior a U$ 500 mil. Já o Someone to Watch homenageia realizadores com uma visão singular e o The Bonnie reverencia diretoras ainda não reconhecidas.

Nos últimos anos, apesar de todas as diferenças, as duas premiações têm compartilhado os mesmos vencedores. Os filmes “12 Anos de Escravidão”, “Birdman”, “Spotlight” e “Monlight” venceram o Spirit e na noite seguinte foram coroados pela Academia. Os atores Jeff Bridges, Jean Dujardin, Matthew McConaughey e Casey Affleck também venceram os dois prêmios. Mas é na categoria de melhor atriz que as coisas realmente se assemelham, porque nos últimos 10 anos foram cinco as ganhadoras: Frances McDormand, Brie Larson, Julianne Moore, Cate Blanchett e Jennifer Lawrence.

Se o Oscar é a maior festa do cinema, o Spirit é a maior prova de amor pela sétima arte.

Comente aqui