Data: 10/07/2020 14:24 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Lilian Trigo

Coisas para fazer com os filhos durante a pandemia - Parte 2

Alguns pais têm enfrentado dificuldade para distrair os adolescentes entediados durante a quarentena. Nem tudo está perdido! criamos uma lista com dicas de atividades divertidas


A adolescência é naturalmente um período difícil, mas pode ser ainda mais complicada com o confinamento imposto pela pandemia. Para ajudar os pais, que já não sabem o que fazer para aplacar o tédio dos filhos, criamos uma lista com dicas de atividades divertidas para toda a família.

Todos sabemos que a adolescência é um período complicado. Já passamos por isso. São muitas mudanças acontecendo ao mesmo tempo e o coronavírus só piora as coisas. Sem a rotina da escola, a convivência com os amigos, a prática de esportes e as idas ao cinema e ao shopping, a vida dos adolescentes fica bem chata. Mas não se desespere! Selecionamos algumas atividades, cursos, jogos e até aconselhamento para fazer - e curtir - em família.

Aprendendo uma coisa nova

Falar inglês não é opcional no mundo de hoje. O domínio da língua inglesa é uma exigência obrigatória para quem quer se destacar nos estudo e no mercado de trabalho. Formar um grupo de estudos familiar, além de criar um forte laço entre pais e filhos, é também uma excelente maneira de passar mais tempo juntos. Nossa dica é o professor de inglês Charles Reis, que tem vasta experiência e metodologia especialmente criada para turmas com vários alunos. As aulas são onlines, com preços especiais para grupos. Maiores informações aqui.

A Quanta Academia de Artes oferece vários cursos online durante as férias, como os de quadrinhos, retratos e caricaturas, tirinhas, projeto de animação, design de moda, técnicas mistas e muitos outros. As aulas, que começam na segunda quinzena de julho, acontecem em três períodos: manhã, tarde e noite. Para maiores informações, clique aqui

Desde 2017, a escritora Clara Averbuck ministra uma oficina de escrita criativa. Com a pandemia, as aulas passaram a ser online, feitas através do Zoom. Para os próximos meses, ela tem uma novidade: vai começar uma turma só para adolescentes. O curso tem duração de 1 mês, com aulas uma vez por semana. Maiores informações neste email aqui.

E vai rolar a festa!

Você sabia que é possível organizar uma festa online durante a pandemia? Esta é uma excelente ideia para animar suas crias. Através do Houseparty, um aplicativo de rede social, é possível criar uma ‘sala’ e convidar até oito pessoas. Se cada pessoa convidar 8 amigos, no final, a escola toda vai poder curtir a festa. 

Outra opção é o Airtime, onde é possível assistir vídeos do YouTube, ouvir e compartilhar músicas com os amigos e conversar usando stickers, filtros e reações sonoras. É uma maneira divertida - segura - de reunir a galera durante a quarentena.

Que tal pegar um cineminha?

Se ir ao cinema ficou impossível no momento, nada impede de convidar os amigos para uma sessãozinha de cinema. Quer saber como? O Google Chrome oferece uma extensão que permite convidar amigos para assistir filmes e séries da Netflix juntos: Netflix Party. Seguro para baixar e fácil de usar, o Netflix Party sincroniza a reprodução de vídeo e adiciona um chat que permite que o grupo converse durante a exibição.

Noitada de jogos!

Que tal criar uma noite de jogos? Se você tem jogos de tabuleiro em casa, sorte sua! Uma boa pedida é intercalar vários tipos de entretenimento, como jogos de cartas, como buraco, truco e 21, os de estratégia do tipo “War” e os online, como Fifa, PES e Minecraft, que seus filhos dominam. Organizar campeonatos de xadrez, dama e gamão também pode ser muito divertido. A ideia é que todo mundo aprenda uma coisa nova e se divirta no processo.

E o que dizer do bom e velho ‘Stop’? No site StopotS é possível criar uma sala, estipular quais os temas do jogo, como nome, animal, cidade, partes do corpo humano, e jogar contra o relógio. Quem terminar primeiro aperta o ‘Stop’. As respostas são validadas e somam pontos. Você pode jogar nas salas abertas ou criar uma fechada só para seus amigos. Certeza que seus filhos vão amar!

A apresentadora americana Ellen DeGeneres, que costumam lançar moda, transformou o jogo Heads Up em febre. Em seu programa, Ellen usa o aplicativo para jogar com seus convidados. As regras são bem simples: com o celular encostado na testa, virado para os outros participantes, a pessoa tem que adivinhar a palavra que está na tela a partir de pistas dadas pelos amigos. Tudo isso antes que o tempo acabe! São 18 categorias, que incluem filmes, animais, celebridades, música e muito mais.

Com a ajuda da incrível Carmen Sandiego seus filhos pode resolver quebra-cabeças e decifrar pistas usando conhecimentos de geografia. Uma ótima pedida para unir diversão e aprendizado.

Podcasts para todos

Hoje em dia é possível encontrar podcasts sobre absolutamente tudo. Gosta de futebol? Tem! Aprecia literatura russa? Tem também! Em plataformas como Spotify, estão disponíveis podcasts com milhares de temas. Uma boa ideia é escolher um assunto que você e seus filhos gostem e ouvir juntos. De games a ciência, passando por seriados e política, os podcasts são uma excelente maneira de aprender alguma coisa nova, ou simplesmente levantar um tema para uma saudável discussão.

Nossas indicações: “Nunca Antes na História Desta Thaís”, da jornalista Thaís Cunha, sobre sua experiência de viver na Itália durante a pandemia; “Autoconsciente”, do B9, sobre bem-estar e autoconhecimento; “99Vidas”, para quem tem saudades do século XX; “Feito por Elas”, mulheres indicando e divulgando filmes feitos por mulheres e o SeriousCast, dedicado às séries atuais.

A hora da leitura

Clubes de livro não são exatamente uma novidade, mas o tipo certo de leitura pode ajudar a criar no adolescente o amor pelos livros. É muito diferente ler por obrigação, o que a escola manda que devorar um livro por prazer. A editora Intrínseca tem em seu catálogo alguns dos títulos mais legais da atualidade. Ela trouxe para o Brasil, escritores como Celeste Ng (“Pequenos Incêndios por Toda Parte”), André Aciman (“Me Chame Pelo Seu Nome”), Cara Delevingne (“Jogo de Espelhos”), R. J. Palacio (“Extraordinário”), entre tantos outros.  Agora ela lançou o “Intrínsecos”, clube de assinatura que envia todos os meses um livro surpresa, inédito, em edição de luxo. São dois tipos de planos: mensal ou anual. O mais bacana é que os livros são tão bons que, certamente, vão agradam tanto pais quanto filhos.

Desde 2016, quando foi criado, o clube de leitura “Turista Literário”, dedica-se ao gênero jovem adulto. Os livros são meticulosamente escolhidos por uma curadoria e as caixas vêm recheadas de atrativos: uma playlist no Spotify, um guia de viagem,  um mimo que tem a ver com a história, um ítem aromático, um selo para ser colado no passaporte e uma lembrancinha, coisa indispensável para todo turista que se preze. Se tudo isso não fizer seu rebento gostar de ler, nada mais fará!

E quem cuida dos pais?

Todos se preocupam com a saúde mental dos adolescentes nesses tempos de incerteza, mas quem cuida dos pais? Neste momento, muitos pais se sentem ansiosos e angustiados, sem saber o que o futuro reserva. Para ajudar a enfrentar as mudanças desta fase, entra em campo Claudia Alaminos. Formada em Fonoaudiologia com especialização em Psicopedagogia, mestrado em Psicologia e Educação e certificação como Educadora Parental em Disciplina Positiva, ela se dedica a ajudar pais de crianças e adolescentes na ingrata tarefa de manejar o estresse do isolamento e supervisionar as atividades escolares dos filhos. Durante o atendimento online, Cláudia procura conhecer a realidade da família. Desta maneira, ela pode orientar quais atitudes dos pais podem gerar menos conflitos em casa e mais tranquilidade, além do engajamento dos jovens na convivência familiar.

Respeite o espaço dos seus filhos

Para encerrar, só um lembrete: respeite a privacidade dos seus filhos. Todos sabemos que a coexistência forçada e prolongada, que obrigada a família a estar junta 24 horas por dia, 7 dias por semana, é desgastante para todos, mas o adolescente precisa de seu espaço. E este espaço precisa ser respeitado para que ele se conheça, descubra seus interesses e desenvolva sua autonomia. A melhor receita é - sempre será - diálogo, amor e compreensão.

Comente aqui