Data: 01/02/2019 14:44 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Lilian Trigo

O cinema no mundo da lua

O filme “O Primeiro Homem” traz de volta o fascínio pela Lua


O Primeiro Homem
O Primeiro Homem

Crédito: Divulgação

Para quem nasceu no século XXI, é quase impossível entender o quanto os astronautas povoavam o imaginário coletivo. Nos anos 60, eles eram o que os pilotos de Fórmula 1 foram nas duas décadas seguintes, o que os “galáticos” do Real Madrid foram nos anos 2000 e o que representam os influencers atualmente. Eles eram amados, adorados e, principalmente, invejados. A realidade, no entanto, é sempre menos glamourosa, porque o programa espacial americano foi cercado de falhas, frustrações e tragédias. Quando foi encerrado, em 1972, o projeto Apollo tinha deixado 181 toneladas de lixo na superfície lunar, incluindo 96 sacos de urina e fezes, um buggy, 12 pares de botas, 5 bandeiras americanas e 2 bolas de golfe.

Mas antes mesmo do homem sonhar em viajar pelo espaço, o cinema já tinha começado seu caso de amor com a Lua. Em 1902, Georges Méliès encantou a plateia com “Le voyage dans la Lune”, baseado em livros de Julio Verne e H.G.Wells, que mostra uma nave pousando no olho do Homem da Lua. O filme tem apenas 14 minutos, mas é tão impressionante que está no livro “1001 Filmes para ver antes de Morrer”. Este foi só o primeiro, de muitos filmes – e séries – sobre o tema.

Em 1957, a União Soviética mandou para o espaço, a bordo da nave Sputnik 2, a cachorrinha Laika. O animal não resistiu e morreu 7 horas após o lançamento, mas foi importante para o desenvolvimento de condições satisfatórias para enviar humanos ao espaço, dando a largada à corrida espacial, um dos principais ingredientes da Guerra Fria. Em 1985, o filme sueco “Minha Vida de Cachorro” conta a história de Ingemar, um garoto de 12 anos, que tem a vida transformada com a doença da mãe e sente uma profunda empatia com Laika e seu trágico destino.

Um ano após o lançamento da Sputnik 2, o governo americano deu uma resposta aos russos criando seu programa espacial. Nascia a NASA e com ela o projeto Mercury, que pretendia levar o homem para o espaço. Para isso era preciso selecionar e preparar os futuros astronautas, a versão ianque dos cosmonautas soviéticos. Os candidatos naturais foram os pilotos de caça que estavam tentando romper a barreira do som, mas também foram admitidos membros da Academia Naval e ex-combatentes da Segunda Guerra e da Guerra da Coréia. O filme “Os Eleitos”, de 1983, baseado no livro homônimo de Tom Wolfe, conta a história dos “Sete da Mercury”, com um elenco de desconhecido, que ficariam famosos nos anos seguintes como Sam Shepard, Dennis Quaid, Ed Harris, Scott Glenn e Lance Henriksen.

“Nós decidimos ir à Lua. Decidimos ir à Lua nesta década e fazer muitas outras coisas, não porque são fáceis, mas porque são difíceis”. Com esse discurso, feito 43 dias depois que Yuri Gagárin se tornar o primeiro homem no espaço, o presidente John Kennedy deu a largada ao projeto Apollo. O filme “Estrelas Além do Tempo” conta a trajetória das pioneiras matemáticas negras que ajudaram a desenvolver o programa espacial. Em 1998, a minissérie da HBO, “Da Terra à Lua”, mais uma colaboração da dupla Ron Howard e Tom Hanks, aprofunda todos os detalhes dos projetos Mercury, Gemini e Apollo. 

O presidente Kennedy não chegou a ver seu sonho realizado. Só em 1969, durante o governo de Richard Nixon, que a Apolo 11 pousaria no terreno lunar. Essa história é contada no novíssimo “O Primeiro Homem”, a cinebiografia de Neil Armstrong. Damien Chazelle, que escolheu seu velho conhecido Ryan Gosling para o papel principal, mostra, fazendo um paralelo entre a vida pessoal de Armstrong e a evolução do projeto Apollo, como foi o caminho até um dos momentos mais marcantes do século XX.

“Houston, nós temos um problema”. Com essas palavras Tom Hanks, na pele de Jim Lovell, anunciou ao controle da missão que a vaca tinha ido pro brejo em “Apollo 13”. O filme, dirigido por Ron Howard, mostra como um voo, que iria recolher amostras e fazer experiências no solo lunar, quase virou tragédia, quando uma explosão no modulo de serviço impediu o terceiro pouso na Lua.

Quando a Apolo 17 terminou sua missão, em 1972, a NASA encerrava a aventura humana na Lua, sonhando com voos maiores na conquista do espaço. Ao todo, 12 astronautas pisaram no solo lunar abrindo caminho para outras aventuras, como os ônibus espaciais, o telescópio Hubble, a Estação Espacial Internacional e a sonda Galileu. Mas essas são outras histórias, que certamente renderão muitos outros filmes.

Comente aqui