Data: 18/06/2021 21:32 / Autor: Redação / Fonte: Vôlei Brasil

Segundo dia do Circuito Brasileiro define classificados para fases eliminatórias

Doze duplas de cada naipe seguem na competição, com quatro nas quartas de final e outras oito na repescagem


Crédito: Ana Patricia / Inovafoto / CBV

Mais vinte jogos foram disputados nesta sexta-feira (18.06) no Rio de Janeiro (RJ), no segundo dia da chave principal da nona etapa Open do Circuito Brasileiro de vôlei de praia 20/21, e 12 duplas de cada naipe seguem na disputa. Em cada torneio, quatro parcerias avançaram diretamente para as quartas de final: Ana Patricia/Rebecca (MG/CE), Bárbara Seixas/Carol Solberg (RJ), Elize Maia/Thamela (ES) e Talita/Maria Elisa (AL/SE) no feminino; George/André Stein (PB/ES), Bruno Schmidt/Evandro (DF/RJ), Guto/Arthur Mariano (RJ/MS) e Vitor Felipe/Renato Andrew (PB) no masculino.

Ana Patricia e Rebecca novamente fecharam o dia de competições na segunda rodada da fase de grupos. Elas venceram Carol Horta/Cacá Richa (CE/RJ) por 21/15 e 21/14 para assegurar o primeiro lugar do Grupo A e a vaga nas quartas de final.

“A gente veio para essa etapa com o sentimento muito bom. A gente vinha de duas etapas que não foram legais, no México. Mas eu falo que tudo que acontece na nossa vida, vem para ensinar. Tudo que aconteceu nos últimos tempos com a gente acho que foi muito importante para que a gente chegasse aqui, se sentisse feliz de novo, conseguisse enxergar realmente onde os erros estavam e trabalhar em cima disso. Então a gente veio para essa etapa muito feliz, acho que é perceptível nossa mudança dentro de quadra, da nossa relação, nossa postura. Estou muito feliz com essas duas vitórias. A gente vem tentando colocar dentro do jogo tudo que a gente fez nos últimos dias no treinamento, e a cada jogo a gente percebe que a gente vem conseguindo. Continuar nesse ritmo bacana e, se Deus quiser, a gente quer chegar nessa final”, afirmou Ana Patrícia.

Talita e Maria Elisa garantiram a vaga nas quartas com uma vitória de virada sobre Taiana/Hegê (CE), parciais de 20/22, 21/15 e 15/5. Bárbara Seixas e Carol Solberg avançaram ganhando por 2 a 0 de Erica Freitas/Thati (MG/PB) (21/11 e 21/16). No primeiro jogo do feminino na quadra 1, Elize Maia e Thâmela venceram Juliana/Josi no tie-break (16/21, 21/11 e 15/4) para assegurar a classificação.

“Acho que o mais importante foi que a gente manteve nossa concentração no nosso objetivo e jogamos juntas. Com o vento, o jogo fica muito mais dinâmico. A gente soube aproveitar e ter paciência nos momentos difíceis. Thâmela está de parabéns. Fez uma grande sequência de saque, que foi o que deu força para a gente ir para o tie-break”, disse Elize.

“Eu estou bem feliz com a nossa sequência. Acho que sempre o resultado a consequência do trabalho. A gente vem trabalhando muito e espero que venha mais um pódio”, destacou Thâmela, que subiu ao pódio em seus últimos quatro torneios, com três ouros.

No torneio masculino, a última vaga do dia foi para Vitor Felipe e Renato, que ganharam de Oscar/Thiago (RJ/SC) de virada: 20/22, 21/13 e 15/11.

“A gente treinou muito tempo, se preparou muito, e tivemos poucas oportunidades. A gente foi para o Mundial, foram dois bons jogos, mas a gente perdeu, então não conseguiu dar desenvolvimento, dar sequência, pegar o ritmo. Então aqui a gente está tendo uma nova oportunidade, passou por uma dificuldade hoje, mas a gente se juntou, soube sair dela, isso é muito bom para o time. Estou muito feliz de estar jogando com ele, estou aprendendo muito. É um moleque muito tranquilo, muito bom de bola. E a gente sabe que tem muito para evoluir e melhorar ainda”, comentou Vitor.

O dia, aliás, foi de jogos de três sets para definir as vagas diretas nas quartas de final. Bruno Schmidt e Evandro fizeram 2 a 1 (11/21, 21/18 e 15/9) em Felipe Cavazin/Luciano (PR/ES). George e André Stein também precisaram do tie-break para vencer Hevaldo/Adelmo (CE/BA) (21/8, 20/22 e 15/12). Não foi diferente com Guto e Arthur Mariano, que superaram Lipe/Anderson Melo (CE/RJ) por 15/21, 21/14 e 15/12.

“A gente sabe que cada jogo que não tiver que jogar vai fazer diferença. Vão ser duas semanas seguidas de competição, e a gente sabe que, quando acontece isso, principalmente em Circuito Mundial, cada jogo, cada set, cada ponto que tenha a mais faz muita diferença. Então ter se classificado direto para as quartas é muito bom, já é um passo a mais. Circuito Brasileiro é o campeonato nacional mais disputado do mundo, e a gente sabe que não vai ter jogo fácil. Tem que ter cabeça. Vão ser duas semanas aqui que tem que estar focado, a mente principalmente. Manter concentração e foco tanto tempo é difícil. Então tem que se preocupar muito com a cabeça e a parte física, porque é o que vai fazer diferença lá no final”, analisou Guto.

Comente aqui