Data: 04/08/2020 11:18 / Autor: Redação / Fonte: Estadão Conteúdo

Rodrigo Maia não vê motivos para processo de impeachment contra Jair Bolsonaro

Em entrevista para o Roda Viva, o presidente da Câmara dos Deputados comenta quais são as prioridades no momento referente ao processo de Impeachment


Nesta segunda feira (03/08) no programa Roda Viva da TV Cultura o presidente da Câmara dos Deputados, Rodrigo Maia, foi perguntado sobre vários assuntos importantes e necessários que estão sendo discutidos atualmente. 

Uma das perguntas, é claro, foi sobre os 50 pedidos de impeachment enviados ao Congresso até agora contra o atual Presidente da República, Jair Bolsonaro. “Destes que estão colocados, eu não vejo nenhum tipo de crime atribuído ao presidente, de forma nenhuma”, afirma Maia, quando é apontado sobre atitudes de Bolsonaro como, por exemplo: 

-Infringir as medidas de isolamento e provocar aglomeração 

-Atacar governadores e prefeitos 

-Manter o ministério da saúde sem um titular 

-Impor o uso da Cloroquina 

-Agravar casos de saúde pública. 

Além disso, ele deixa claro que o impeachment não pode ser instrumento para solução e crises, é preciso ter embasamento para tomar esse tipo de decisão. 

Sendo assim, por qual motivo ele ainda não “engavetou” os processos? 

Respondendo à pergunta dos jornalistas presentes ele afirma:  "Estamos no meio de um processo de pandemia e qualquer decisão agora leva um recurso ao plenário e nós vamos ficar decidindo impeachment sem motivação para isso. É por isso que eu não decido."

Apesar de acreditar que agora não é um bom momento para o pedido de impeachment do presidente ele não deixou de afirmar que não concorda com as atitudes feitas por Bolsonaro com relação a pandemia “... Vamos chegar a 100 mil vidas perdidas. Ele minimizou, criou um falso conflito."

Sobre Fake News

O presidente da Câmara dos deputados afirma que irá colocar PL das fake news em votação até o final do ano e que o texto aprovado deve garantir transparência. Além disso, relatou que foi atacado em suas redes sociais após chamar o youtuber e influenciador Felipe Neto para participar de uma reunião que vai discutir sobre a lei das Fake News. "Como se a Câmara, que é a casa do povo, não pudesse ouvir uma pessoa que é seguida por 40 milhões de pessoas."  afirma, Rodrigo Maia. 

Crédito: Nathalie Bohm

Comente aqui