Data: 13/11/2019 16:56 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo

Países do Brics buscam investimentos privados para infraestrutura

Memorando de entendimento foi assinado nesta segunda-feira (11), entre o BNDES e os bancos de desenvolvimento dos demais países que compõem o Brics


Os cinco participantes do Brics:  o presidente da China Xi Jinping, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, o Primeiro Ministro da Índia, Narendra Modi e o Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.
Os cinco participantes do Brics: o presidente da China Xi Jinping, o presidente da Rússia, Vladimir Putin, o presidente do Brasil, Jair Bolsonaro, o Primeiro Ministro da Índia, Narendra Modi e o Presidente da África do Sul, Cyril Ramaphosa.

Crédito: Alan Santos/PR

O grupo é formado pelo Brasil, pela Rússia, Índia, China e África do Sul. Segundo o BNDES, o objetivo é mobilizar investimentos privados em projetos de infraestrutura nos países do bloco.

As instituições deverão criar um grupo de trabalho para avaliar experiências concretas de aplicação de recursos privados em projetos de infraestrutura. Os resultados deverão ser apresentados aos dirigentes das entidades em 2021. “A ideia é que sejam apresentadas iniciativas como soluções financeiras, modelagens para concessões e parcerias público-privadas (PPPs), bem como propostas de aperfeiçoamento dos marcos legais e regulatórios aplicáveis”, informou o BNDES.

Na etapa seguinte, com base nas conclusões do grupo de trabalho, os bancos de desenvolvimento do Brics poderão avaliar a implementação de instrumentos que tenham possibilidade de atrair recursos privados.

Ainda de acordo com o BNDES, os bancos de desenvolvimento dos países do bloco manifestaram interesse em renovar, em abril de 2020, o memorando de cooperação estabelecido em 2010 e reeditado em 2015, que constitui o marco inicial de aproximação enttre tais instituições. O memorando, que serviu de base para a criação do New Development Bank (Banco do Brics), estabelece os termos básicos de cooperação entre as entidades envolvidas, concluiu o BNDES.

Comente aqui