Data: 06/12/2021 17:23 / Autor: Redação / Fonte: Catho

Mulheres ainda são minoria em cargos de liderança e ganham menos

A presença feminina nos cargos mais altos é de 39,5% com salários 189% mais baixos em relação aos homens


Mulheres - liderança
Mulheres - liderança

Crédito: Reprodução

A 63ª edição da Pesquisa Salarial realizada pela Catho, marketplace de tecnologia que conecta empresas e candidatos de forma gratuita, revela que mesmo as mulheres sendo maioria com formação superior e pós-graduação, isso não se reflete na hora da remuneração salarial ou presença em cargos de liderança. Os homens ainda ocupam 61% dos cargos mais altos das empresas e ganham 19% a mais do que as mulheres para exercer a mesma função.

De acordo com o levantamento, as mulheres representam 56% dos profissionais com  pós-graduação, especialização ou MBA e 52% em formação superior. Mas mesmo assim ganham, respectivamente, 43% e 38% a menos em relação aos homens com o mesmo grau de escolaridade.

“Os números são preocupantes. As mulheres possuem nível de escolaridade mais elevado e  ganham menos do que os homens para exercerem a mesma função. As empresas estão atuando para transformar essa realidade, mas  ainda estamos longe do cenário ideal. Na Catho, por exemplo, prezamos pela equidade salarial e quanto mais empresas aderirem a esse movimento, mais rápido poderemos alcançar igualdade dentro do mundo corporativo”, declara Patrícia Suzuki, CHRO da Catho.

Quando comparamos os salários recebidos por gêneros, na maioria dos níveis hierárquicos, os homens ganham mais, mas quando se trata dos cargos de Assistente/Auxiliar as mulheres ganham 3% a mais. Já nos cargos mais altos como de Diretora, Gerente, Supervisora, Coordenadora, Líder e Encarregada as mulheres ainda ganham, em média, 19% a menos.

Essa cadeira é minha

Empoderar as mulheres no mercado de trabalho é uma prioridade para a Catho. Para acender o debate sobre a equidade de gênero, a empresa lançou o movimento “Essa Cadeira É Minha”. A ação se posiciona em favor das mulheres e busca promover o diálogo em relação ao assunto. 

Dentro desse movimento a companhia já realizou várias ações em prol das profissionais, como a ferramenta “Vagas Femininas”, uma extensão no navegador Google Chrome que adapta a descrição de cargos profissionais do masculino para o feminino e a campanha “Dia da Chefe”, para as redes sociais a fim de chamar a atenção para outra problemática trazida pela desigualdade de gênero no mercado de trabalho: o tratamento dado às mulheres que ocupam cargos de liderança.

A 63ª edição da Pesquisa Salarial foi realizada com 8.403 profissionais de todo o País. A Catho conta com vagas para atuação em todo território nacional e para todos os níveis hierárquicos. Para se candidatar gratuitamente e buscar oportunidades basta acessar aqui.

Comente aqui