Data: 13/01/2021 20:36 / Autor: Redação / Fonte: Assessoria

Maior evento de inovação do mundo apresenta soluções tecnológicas para o lar e saúde

Por Natasha de Caiado Castro, CEO da Wish International


Natasha de Caiado Castro
Natasha de Caiado Castro

Crédito: Divulgação

Até quinta-feira (14), acontece a CES (Consumer Electronics Show), maior feira de tecnologia do mundo. O evento que anualmente acontece em Las Vegas, foi completamente remodelado em 2021 para o formato digital devido à pandemia de Covid-19.

A CES é conhecida por apresentar em primeira mão lançamentos tecnológicos que acompanham as mudanças de comportamento da sociedade e necessidades da vida moderna. Se trata de uma prévia de tudo aquilo que em breve a maioria das pessoas vai utilizar em seu dia a dia e que, em pouco tempo, nos fará perguntar: como conseguimos viver sem isso antes na vida?

A cada ano, repórteres, expositores e investidores normalmente exploram showrooms de Las Vegas cheios de TVs gigantes, carros inteligentes e robôs. No entanto, com o Covid-19 seguindo seu curso de contaminação, o formato digital da edição de 2021 (pela primeira vez em seus 54 anos de história) - mesmo que sem a possibilidade de ver de perto, tocar e experimentar as novidades - cumpre bem seu papel de vitrine de novidades.

Embora menor, o número de exibidores neste ano (1.800 expositores, contra os 4.400 registrados no ano passado) contou com empresas de peso como Samsung, Panasonic, LG, Intel, Dell, Sony, IBM e Microsoft. Já Amazon e o Google, que sempre tiveram presença garantida, foram as baixas mais sentidas.

Como era de se esperar, devido às circunstâncias nas quais o mundo todo precisou se adaptar, as inovações desde ano foram pautadas por dois temas principais: Lar e Saúde. Em tempos de pandemia e confinamento, nada afinal tem sido mais valorizado pelas pessoas do que manter-se saudáveis e ainda ter a possibilidade de ficar dentro de suas casas com o máximo de conforto possível.

Samsung e LG estão ressignificando a casa como hub da vida. Com os temas "Life is On" e "Better Normal for All", respectivamente, criaram máscaras inteligentes, purificadores de ar, aspiradores de pó e outros eletrodomésticos inteligentes e interligados que adicionam conforto, charme e praticidade.

Um dos lançamentos mais surpreendentes foi o Bot Handy, robô da Samsung que é o sonho de qualquer adulto. O equipamento utiliza inteligência artificial para se locomover pela casa e, com um braço mecânico, sai pegando objetos espalhados e os colocando em seus devidos lugares. Ele também consegue pegar a louça suja da pia e colocar dentro da máquina de lavar, entre outras tarefas. O robô é a visão da empresa para "um novo normal melhor", à medida que mais pessoas trabalham, cozinham, comem e passam a maior parte do seu tempo dentro de casa.

Também da Samsung, uma geladeira dividida em quatro compartimentos isolados pode ser personalizada para seu tipo de compras de supermercado. Duas batidinhas na porta e a luz interna acende mostrando seu interior e relacionando os itens internos ajudando na receita que está no celular conectado a ela. Já os ingredientes que faltam, com apenas um toque são comprados pelo aplicativo e entregue por drones. Drones esses que já estão em fase de testes na Flórida, levando medicamentos a comunidades de terceira idade - consequência das novas necessidades surgidas a partir da pandemia.

O Covid-19 não apenas obrigou o CES a ser virtual, como também transformou o evento em um campo de lançamento de tecnologia na era da pandemia. O exemplo mais chamativo até agora vem da LG, que lançou seu último refrigerador InstaView. Os novos recursos do modelo 2021 incluem luz ultravioleta que elimina "99,9%" das bactérias no dispensador de água da geladeira e a capacidade de abrir por comando de voz.

A empresa sul-coreana também deu destaque à linha Puriview de filtros de ar, que vão desde grandes modelos para escritórios até o Puriview Mini, um filtro de ar portátil que você pode carregar em uma bolsa ou mochila. Há também uma máscara facial purificadora de ar alimentada por bateria.

Bosch e Phillips e algumas marcas menores também investiram em devices para COVID: teste e prevenção. Em apenas seis semanas foram desenvolvidos testes rápidos que dão resultado em 30 minutos graças à máquina de laboratório da Bosch que analisa cinco amostras de material orgânico por vez. Outra máquina de monitoramento de hemoglobina diagnostica anemia em 30 segundos, equipamentos antes usados somente em hospitais, como os de monitoramento de apneia do sono, agora já são portáteis para que a análise da quantidade de paradas respiratórias possa ser realizada em casa e envie dados diretamente para o aplicativo no celular do médico.

Os objetivos da Health Tech é "desentupir" as UTIs, dando independência para que pacientes fiquem internados em casa, usando as novas tecnologias que vão de melhoria de qualidade do ar a vallet autônomo para carros, facilitando a mobilidade.

Como vêm mostrando as inovações apresentadas nesta edição, a ‘consumerização da medicina’ possibilita o maior engajamento dos pacientes em seus tratamentos, além de ajudar na prevenção da saúde e na melhora da experiência do paciente por completo, tudo isso com o auxílio da tecnologia. É isso o que veremos mais e mais a partir de agora.

Vamo que vamo!

Comente aqui