Data: 16/07/2019 15:57 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo

Itália apreende míssil em operação contra neonazistas

"A investigação surgiu em razão das atividades de alguns combatentes italianos de origem extremista que participaram do conflito armado na região ucraniana de Donbass", disse à políca


Policiais manejam míssil usado para derrubar aviões apreendido durante a operação
Policiais manejam míssil usado para derrubar aviões apreendido durante a operação

Crédito: Polícia de Turim/Divulgação

Um arsenal que incluía um míssil ar-ar e várias armas de diferentes calibres foi apreendido nesta segunda-feira, 15, com simpatizantes de extrema direita no norte da Itália. De acordo com a polícia, a operação antiterrorista investigava italianos "de ideologia extremista" que lutaram ao lado de rebeldes pró-Rússia contra tropas ucranianas.

Durante a operação, os policiais italianos encontraram um míssil ar-ar Matra, de fabricação francesa, que aparentemente pertenceu às Forças Armadas do Catar. Verificações subsequentes mostraram que a arma estava em condições de funcionamento, mas não possuía carga explosiva.

As autoridades encontraram também 20 armas sofisticadas, entre elas fuzis de assalto automáticos de "última geração" e grande quantidade de munição e de objetos de propaganda neonazista.

O míssil foi encontrado em um armazém perto da cidade de Voghera leste de Turim. No local, foram presos Alessandro Monti, de 42 anos, que é suíço e proprietário do local, e o italiano Fabio Bernardi, de 51 anos. Em Pavia, norte da Itália, a polícia prendeu Fabio del Bergiolo, de 60 anos, funcionário de alfândega e ex-candidato ao Senado de uma cidade italiana, em 2001, pelo partido nacionalista de extrema direita Força Nova.

A polícia disse que os suspeitos tentaram vender o míssil em conversas pelo aplicativo de mensagens WhatsApp. As investigações começaram um ano atrás, quando as autoridades em Turim passaram a monitorar pessoas ligadas a grupos de extrema direita que combateram contra os separatistas ucranianos na região de Donbass. Em uma das comunicações interceptadas, os suspeitos enviaram fotos do míssil e falaram em vendê-lo por ¤ 470 mil (US$ 529 mil)

"Temos algumas ideias sobre o que queriam fazer com o material apreendido, mas não vamos divulgar suposições", declarou o chefe da polícia de Turim, Giuseppe de Matteis. "Até o momento, não há nada que nos leve a pensar em projetos subversivos", garantiu Eugenio Spina, integrante da força antiterrorismo. O míssil ar-ar Matra Super 530 F tem 3,54 metros, entrou em serviço em 1980, tem um alcance de 25 quilômetros e pode levar uma carga explosiva de 30 quilos.

Entre outras armas encontradas estavam 26 pistolas, 20 baionetas 306 peças de armas, incluindo silenciadores e miras de fuzil, e mais de 800 balas de vários calibres. As armas eram principalmente de Áustria, Alemanha e EUA. As buscas ocorreram nesta segunda-feira pela manhã em coordenação com as autoridades de Milão, Varese, Pavia, Novara e Forli.

"A investigação policial surgiu em razão das atividades de alguns combatentes italianos de origem extremista que participaram do conflito armado na região ucraniana de Donbass", disse à polícia. Mais de 10 mil pessoas foram mortas desde 2014 na luta entre separatistas pró-Rússia e forças ucranianas no leste da Ucrânia.

Comente aqui