Data: 06/12/2021 16:28 / Autor: Redação / Fonte: Hospital Albert Sabin (HAS)

A importância da atividade física para a saúde do coração

O Cardiologista do HAS Clínica, Dr. Adriano Luiz Guerra, fala sobre os benefícios do exercício físico para a saúde cardíaca


Coração + exercícios - HAS
Coração + exercícios - HAS

Crédito: Divulgação

A atividade física exerce fundamental importância na saúde em geral, contudo, é de especial relevância quando se trata da saúde cardíaca. Além de acarretar perda de massa gordurosa em substituição à massa muscular, melhora a elasticidade dos vasos sanguíneos, os níveis pressóricos, favorece a redução dos níveis do colesterol e assegura um melhor sincronismo do sistema elétrico, reduzindo a ocorrência de arritmias.

“Quando estamos nos exercitando, estimulamos o músculo cardíaco que, por sua vez, elabora a formação de uma rede mais ampla de vasos sobre o órgão e, consequentemente, melhora a circulação e a irrigação, proporcionando melhor desempenho da bomba cardíaca”, explica o Dr. Adriano Luiz Guerra, Cardiologista do HAS Clínica.

Nesse processo, há uma renovação fisiológica dos componentes das fibras musculares cardíacas, fortalecendo o trabalho do órgão. Além de proporcionar uma sensação de bem-estar, conforto e prazer, aumenta a sobrevida das pessoas perante as inúmeras comorbidades que, eventualmente, possam surgir com a idade.

Atividades aeróbicas são as mais adequadas para a saúde do coração. “Começar com alongamento muscular nas primeiras horas da manhã, assim como levantamento de pesos, seguido por caminhadas, corridas ou pedaladas, constituem em excelentes exercícios para o coração”, recomenda o cardiologista.

Porém, é importante ressaltar que existem algumas doenças cardíacas que exigem extremo cuidado quanto à prática de atividade física. Indivíduos que apresentem hipertensão arterial, diabetes, níveis elevados de colesterol, arritmias cardíacas, insuficiência cardíaca, obesidade, osteoporose e sedentarismo exigem cautela na prática de exercícios. Tais pessoas devem fazer atividade física de maneira regrada e não abusiva, e com a devida orientação de um profissional da saúde.

“Vale lembrar que antes do início de qualquer atividade física, principalmente a partir da quarta ou quinta década de vida, é recomendável a consulta com o cardiologista, que prescreverá um check-up para atestar se o paciente está apto para a prática de esportes”, adverte o Dr. Guerra. 

No mais, além dos exercícios físicos, evitar o tabagismo e o consumo excessivo de álcool, controlar o estresse, a ansiedade, a depressão e adotar uma alimentação equilibrada também são dicas valiosas na manutenção da saúde cardíaca e da qualidade de vida.

Comente aqui