Data: 04/08/2020 20:01 / Autor: Redação / Fonte: USA Today

A explosão de um país devastado

Líbano está perto de viver um colapso


A explosão que atingiu o centro de Beirute, no Líbano, nesta terça-feira (04), infelizmente está longe de ser o maior problema do país do Oriente Médio. No meio de uma pandemia, diversas situações estão afetando ainda mais esse país, que já sofreu com tantas guerras, assassinatos, crises e bombardeios.

O país está perto de uma queda enorme, trazida por problemas financeiros, empresas e instituições em colapso, pobreza em crescimento constante, além da inflação. Fora tudo isso, houve também a renúncia do ministro de Relações Exteriores do Líbano.

Como dito anteriormente, mesmo com tantos problemas já vividos por esse povo, nunca se viu algo como diversas demissões ao mesmo tempo, crise de saúde que põem em risco o funcionamento de hospitais, comércios sendo fechados e, um dos piores pontos, os crimes motivados pelo pânico e pelo desespero.

Esse colapso vivido pelo Líbano, coloca em risco um modelo de diversidade entre os países árabes. Infelizmente, tudo o que está acontecendo agora, trata-se de um reflexo de anos, estes repletos de corrupção e ganância das classes políticas.

Atualmente, o país, aos poucos, está desmoronando, visto tantos problemas e situações adversas. Sinais demonstram que o Líbano logo deve enfrentar uma crise de fome, deixando de oferecer o básico aos seus cidadãos.

Além disso, problemas com a segurança também são bem prováveis, tendo em vista que o poder de compra do salário de um soldado comum caiu cerca de US $ 750.

A realidade por trás disso tudo, é que o país vem sustentando a não existência de uma crise há muito tempo, evitando assim o colapso que agora assola toda uma nação.

Protestos de 2019

No último ano, o país do Oriente Médio teve suas ruas tomadas por manifestantes cansados dos problemas políticos enfrentados. Outra razão para esses protestos, foi a taxação do uso do aplicativo de mensagem WhatsApp, proposta pelo governo.

Nessa época, houve um balanço muito forte na situação econômica do país, principalmente por um fechamento bancário, acompanhado na sequência de uma corrida aos bancos, e os controles informais de capital.

Por fim, quando abordamos o agora, a única esperança visível para o Líbano é um resgate do Fundo Monetário Internacional (FMI), tendo em vista que o país já perdeu praticamente todos os seus apoiadores.

Comente aqui