Data: 23/05/2022 21:51 / Autor: Redação / Fonte: Assessoria

Depois de 23 anos, retorno da Mesbla traz lado afetivo, diz presidente do Grupo Marpa

Valdomiro Soares diz que volta da empresa, que foi uma das maiores lojas do Brasil, só foi possível por conta de processos padrão em licenciamento de marca


Presidente do Grupo Marpa, Valdomiro Soares
Presidente do Grupo Marpa, Valdomiro Soares

Crédito: Divulgação Marpa

O presidente do Grupo Marpa, Valdomiro Soares, vê como promissora a volta da varejista Mesbla no momento em que o cenário nacional está mais propenso para compras online, além do saudosismo que o nome Mesbla traz para alguns brasileiros. “Não se trata de qualquer marca, mas sim de uma loja que está na memória de muitos consumidores e ex-funcionários. O elo afetivo que existe entre estes e a Mesbla, certamente, vai ditar um caminho de sucesso para quem, um dia, foi uma das gigantes do varejo”, diz.

Após 23 anos do seu encerramento, a Mesbla, que chegou a ser uma das maiores redes de lojas do Brasil, volta às atividades. Mas, desta vez, em formato digital, tendo em sua marketplace mais de 250 mil produtos. A volta da marca se deu após filhos de ex-funcionários da varejista negociarem os direitos de uso do nome Mesbla para utilização em loja virtual, além do crescimento cada vez mais nítido do e-commerce no país. A Mesbla fechou suas portas após ter sua falência decretada, em 1999.

Valdomiro ainda lembra que o retorno da Mesbla só foi possível devido à negociação de uso do nome da empresa. “Neste caso em específico, vai muito além da afetividade, pois se trata de algo padrão em contratos de licenciamento. Desde um lanche especial de um fast food, até este caso da Mesbla, serão pagos royalties para os donos da marca, assim como acontece em todo e qualquer processo para a utilização do nome de qualquer empresa”, finaliza.

Comente aqui