Data: 30/06/2016 08:48 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo/Agência Brasil

Delta, Carlinhos Cachoeira e Cavendish são alvo da operação Saqueador

Estão sendo cumpridos mandados no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Goiás, expedidos pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio.


No âmbito na Operação Saqueador, Policiais federais cumprem hoje (30) mandados de prisão de acusados de participação em um esquema de desvio de verbas públicas e lavagem de dinheiro, no valor de R$ 370 milhões. De acordo com o Ministério Público Federal (MPF), os principais acusados são o empresário Fernando Cavendish, presidente da empreiteira Delta, e o bicheiro Carlinhos Cachoeira.

Além dele, foram denunciadas 22 pessoas – executivos, diretores, tesoureira e conselheiros da empreiteira, além de proprietários e contadores de empresas fantasmas, criadas por Carlinhos Cachoeira, Adir Assad e Marcelo Abbud.

Segundo o MPF, foram reastreados os pagamentos feitos pela Delta a empresas de fachada. Foi verificado ainda aumento dos valores dessas transferências em anos de eleições. Foram feitas transferências, por exemplo, de R$ 80 milhões para uma obra inexistente chamada Transposição do Rio Turvo, no Rio de Janeiro.

As empresas, que só existiam no papel, recebiam o dinheiro, mas não executaram o serviço. De acordo com o MPF, as empresas de Adir Assad e Marcelo Abbud emitiam notas frias não só para a Delta, mas para muitas outras empresas. Segundo as investigações, o esquema também serviu de suporte à corrupção na Petrobras.

Estão sendo cumpridos mandados no Rio de Janeiro, em São Paulo e em Goiás, expedidos pelo juiz federal Marcelo Bretas, da 7ª Vara Federal Criminal do Rio. Agentes tentaram localizar Cavendish em sua residência no Leblon, um dos mais caros endereços do Rio de janeiro, mas não foi encontrado. Rumores indicam que está em viagem ao exterior.

Carlinhos Cachoeira chegou a ser preso em 2012 na Operação Monte Carlo, acusado liderar uma quadrilha de jogos de azar em Goiás e no Distrito Federal. A ação desmontou a quadrilha, que mantinha contato e teria se beneficiado da relação com autoridades como o ex-senador Demóstenes Torres, que chegou a ser cassado devido ao seu envolvimento com o grupo.

Carlinhos Cachoeira é alvo de diversos processos criminais na Justiça e já foi condenado a mais de 39 anos de prisão.

Comente aqui