Data: 19/10/2021 11:40 / Autor: Redação / Fonte: Movimento Unidos pelo Brincar

Complexo do Alemão ganha espaço dedicado às crianças

Projeto Favelas do Brincar inaugura ação na ONG EDUCAP, no Rio de Janeiro


Favelas do Brincar
Favelas do Brincar

Crédito: Divulgação

O conjunto de favelas do Complexo do Alemão, Zona Norte do Rio de Janeiro, tem um novo espaço dedicado aos pequenos, com jogos e brincadeiras concebidos especialmente para ajudar a desenvolver suas habilidades emocionais, cognitivas, físicas, sociais e criativas. Favelas do Brincar, uma série de intervenções lúdicas dedicadas ao desenvolvimento das crianças que serão implementadas em áreas públicas de favelas. A iniciativa do Movimento Unidos Pelo Brincar, que chega ao Alemão, já passou por Paraisópolis (SP) e, nos próximos meses, segue para Heliópolis.

A sede de contêineres empilhados e coloridos que dão vida ao Espaço Democrático de União, Convivência, Aprendizagem e Prevenção (EDUCAP) é o espaço que abriga as intervenções Favelas do Brincar no Alemão. Com a iniciativa, foi realizada ainda uma obra de revitalização que gerou um pouco mais de segurança às crianças, com a construção de muros de proteção no ambiente. Atualmente, o EDUCAP está à frente de atividades educacionais, ações dedicadas às mulheres, projetos comunitários e profissionalizantes, além de ser uma base de acolhimento para as famílias da comunidade e fora dela.

"Toda criança tem o direito ao lazer, por isso, o ‘Favelas do Brincar’ tem uma importância neste contexto. O brincar traz desenvolvimento e inclusão para as crianças, principalmente, àquelas que precisam de espaços lúdicos de interação, segurança e qualidade. Isso é de extrema importância nas favelas", afirma Lúcia Cabral, educadora e fundadora do Educap.

Direito fundamental de toda criança, o brincar é parte integrante dos processos de aprendizagem. No cenário brasileiro e em especial nas comunidades, espaços adequados são um desafio, que se tornou ainda mais crítico durante a pandemia da COVID-19. A pesquisa "O Brincar nas Favelas Brasileiras", realizada pelo movimento Unidos pelo Brincar em parceria com o Instituto Locomotiva e o Data Favela, apontou que 88% das mães entrevistadas recorrem a telas - celular, TV - para entreter as crianças. A quarentena e o fechamento de creches e escolas, ao invés de aproximar mães e filhos, os afastou ainda mais: 50% acham que a pandemia trouxe dificuldade em encontrar tempo para brincar com as crianças. E não é por falta de compreensão da importância do brincar. Na pesquisa, 92% das mães dizem acreditar que as brincadeiras são importantes para o aprendizado infantil, principalmente para habilidades de comunicação, socioemocionais, desenvolvimento físico e concentração.

Favelas do Brincar nasce dentro do Movimento Unidos Pelo Brincar, em parceria com o G10 Favelas, como fruto da percepção dessa situação crítica. Seu objetivo é impulsionar a aprendizagem através das brincadeiras e abrir caminhos para que organizações, comunidades e governos repliquem o formato em outros territórios. Os recursos utilizados para desenvolvimento das ações nas favelas de Paraisópolis (SP), Heliópolis (SP) e Complexo do Alemão (RJ) estarão disponíveis no site favelasdobrincar.org. Seu público alvo são instituições, governos locais e também cidadãos organizados que decidam replicar a intervenção em suas comunidades em prol das crianças, do brincar e do aprendizado. O Favelas do Brincar reforça o objetivo de unir organizações da sociedade civil e chamar a atenção do poder público para a importância desses espaços para o desenvolvimento integral das crianças.

A iniciativa usa recursos do projeto Pé de Infância, da Bernard van Leer Foundation, e da iniciativa Playful Learning Landscapes (PLLAN).

Favelas do Brincar
Favelas do Brincar

Crédito: Divulgação

Comente aqui