Data: 16/08/2019 16:08 / Autor: Redação / Fonte: CBV

Circuito Mundial: Brasil avança com três times às quartas de final do masculino

Alison/Álvaro Filho encara italianos vice-campeões olímpicos, enquanto Evandro/Bruno duela com Guto/Saymon em disputa de compatriotas


Guto mergulha para evitar ponto adversário em partida da etapa de Moscou
Guto mergulha para evitar ponto adversário em partida da etapa de Moscou

Crédito: Divulgação

O Brasil avançou com três duplas masculinas entre os oito times que se classificaram às quartas de final da etapa quatro estrelas de Moscou (Rússia), pelo Circuito Mundial de vôlei de praia 2019. Alison/Álvaro Filho (ES/PB), Evandro/Bruno Schmidt (RJ/DF) e Guto/Saymon (RJ/MS) venceram seus jogos nesta sexta-feira (16.08) e deram mais um passo em busca de medalhas no torneio, que conta pontos à corrida olímpica brasileira.

As quartas de final acontecem neste sábado (17.08), mesmo dia em que também serão realizadas as semifinais. Já as disputas de bronze e ouro ocorrem no domingo (18.08).

Uma das quartas de final terá Evandro/Bruno Schmidt enfrentando Guto/Saymon, garantindo presença brasileira nas semifinais da competição. A partida acontece às 7h30 (de Brasília) e será o segundo duelo internacional entre os times (Evandro e Bruno venceram anteriormente). Já Alison/Álvaro Filho encara os italianos Nicolai/Lupo, vice-campeões olímpicos, às 5h30, no terceiro encontro entre os times (uma vitória para cada lado).

Evandro e Bruno Schmidt tiveram caminho mais longo, já que perderam na partida de estreia do grupo. Nesta sexta, tiveram que vencer três jogos, pelo grupo, repescagem e oitavas. Eles começaram o dia superando os norte-americanos Allen/Slick, por 2 sets a 0 (21/19, 21/16). Na repescagem, triunfo sobre os compatriotas Andre/George, no tie-break: 18/21, 21/15, 15/13.

Fechando a maratona de partidas no dia, jogando contra a torcida que encheu a arena central, eliminaram nas oitavas de final os russos Semenov e Leshukov com vitória por 2 sets a 0 (21/15, 24/22), garantindo vaga na próxima fase do torneio europeu. Evandro comentou a superação da dupla após começarem o torneio com derrota, e com Bruno Schmidt ainda se recuperando de um problema muscular na coxa.

“Foi um dia muito difícil, três jogos muito complicados. Primeiro contra os norte-americanos, escola tradicional, nossos grandes rivais no vôlei de praia, depois contra André e George, sempre lamentamos quando nos enfrentamos aqui no Circuito Mundial, mas acaba acontecendo. Estamos em um torneio de superação, Bruno ainda está se recuperando de uma lesão sofrida na coxa, não está 100%, mas seguimos na vontade, na força. Está dando certo, vamos buscar manter essa união, um ajudando o outro, para alcançar o objetivo que é atingirmos a final aqui em Moscou”, declarou Evandro.

Alison e Álvaro Filho avançaram às quartas de final ao superarem nas oitavas de final os holandeses Varenhorst/van de Velde por 2 sets a 0 (23/21, 21/16), mantendo a invencibilidade na competição. A dupla saiu em primeiro lugar do grupo e não precisou disputar a repescagem em Moscou. Mesma situação de Guto e Saymon, que venceram nas oitavas os tchecos Perusic/Schweiner por 2 sets a 0 (21/8, 21/19).

A fase de grupos em Moscou é composta por 32 times em cada naipe, divididos em oito chaves com quatro duplas. Após a disputa da primeira fase, os primeiros colocados vão direto às oitavas de final, enquanto os segundos e terceiros de cada grupo disputam uma rodada eliminatória anterior, da repescagem (Round 1). O torneio segue em formato eliminatório com oitavas, quartas, semifinais e disputas de bronze e ouro.

O Brasil possui ótimo retrospecto em etapas disputadas em Moscou. A cidade já recebeu 13 etapas no naipe masculino e 11 no naipe feminino, com sete medalhas de ouro, 11 de prata e seis de bronze para duplas brasileiras. Na temporada passada, Ágatha/Duda e o então time formado por Alison/André Stein levaram a prata na capital russa.

A competição em Moscou rende cerca de R$ 78 mil para os campeões dos naipes masculino e feminino. Ao todo, o torneio distribui cerca de R$ 1,2 milhão em premiação aos atletas, além de oferecer pontuação alta para o ranking internacional – 800 para os times vencedores (mesmo número para a corrida olímpica brasileira).

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Comente aqui