Data: 22/10/2019 16:26 / Autor: Redação / Fonte: CBV

Circuito Brasileiro: Maria Clara volta ao tour após um ano e meio

Duas vezes melhor saque do mundo e vice-campeã do Circuito Mundial, irmã de Carol e Pedro Solberg retorna ao torneio com Victoria Paranagua


Maria Clara em ação na última etapa que disputou no tour nacional, em 2018
Maria Clara em ação na última etapa que disputou no tour nacional, em 2018

Crédito: divulgação

Eleita por duas vezes o melhor saque do mundo e vice-campeã do Circuito Mundial de 2013, a carioca Maria Clara está de volta ao Circuito Brasileiro Open. A reestreia após um ano e meio ausente será nesta semana, na etapa de Cuiabá (MT), que ocorre de quarta-feira (23.10) a domingo (27.10), no estacionamento do ginásio Aecim Tocantins. A entrada é franca e as partidas são exibidas ao vivo pelo Facebook da Confederação Brasileira de Voleibol.

Maria Clara passou os últimos anos morando entre o Brasil e Estados Unidos, disputando a AVP (principal liga norte-americana de vôlei de praia). O último evento no tour nacional que disputou aconteceu em abril de 2018, no SuperPraia. Após anúncio da gravidez da então parceira Elize Maia, a defensora aguardava o momento certo para o retorno, e encontrou em uma atleta 13 anos mais jovem o potencial para voltar ao tour brigando por bons resultados.

“Estou muito feliz por estar retornando ao Circuito Brasileiro, fiquei bastante tempo afastada, não sabia se voltaria. Mas acabou aparecendo a oportunidade de jogar com a Tory (Victoria Paranagua). É uma menina muito bacana, trabalha forte. E jogar vôlei sempre foi uma coisa muito prazerosa, que amo fazer. Só faz sentido quando você está do lado de alguém que você vê que gosta de trabalhar, que a ideia de time é a mesma. Encontramos isso uma na outra rapidamente”, disse Maria Clara, que completou.

“Ainda não fizemos planos, não sei o que acontecerá, mas neste momento estou muito feliz com os treinos que fizemos. Foram quase três semanas no Rio de Janeiro e de maneira muito produtiva. Estou animada, ela é 13 anos mais jovem e em alguns momentos esqueço essa diferença toda, ainda tenho muita energia jogando, mas lembrar essa distância é interessante, o que puder transmitir de experiência, ajudá-la, vou fazer. Vamos nos divertir, prontas para o forte calor em Cuiabá que já conheço”, destacou.

Victoria Paranagua nasceu no Brasil, mas vive com a família nos EUA desde os nove anos de idade. Lá, cursou comunicação e jogou voleibol de quadra e praia em colégios e universidade, e posteriormente disputou eventos como a AVP e o p1440, principais ligas do país. A estreia no Circuito Brasileiro aconteceu em janeiro de 2019, e a bloqueadora passou a chamar a atenção das melhores atletas do país, avançando nos classificatórios e subindo no ranking.

A dupla, porém, não figura ainda entre as 16 primeiras do ranking, por conta do período de Maria Clara ausente. Com isso, o primeiro desafio virá na quinta-feira, com a disputa de partidas eliminatórias pelo classificatório, para então ingressar à fase de grupos.

Filha da multicampeã Isabel Salgado, titular da seleção em duas edições olímpicas nos anos 80, e irmã dos atletas Pedro Solberg e Carol Solberg, Maria foi vice-campeã do Circuito Brasileiro em duas oportunidades, nas temporadas 2007 e 2014/2015, ambas ao lado da irmã.

O Circuito Brasileiro conta com 24 duplas em cada gênero, sendo que as 16 equipes mais bem colocadas no ranking de entradas já entram direto na fase de grupos, a partir de quinta-feira (masculino) e sexta-feira (feminino). As outras oito vagas restantes para completar os 24 times ficam abertas para serem disputadas entre até 32 duplas no torneio classificatório (qualifying), que acontece na quarta (masculino) e quinta (feminino).

As 24 equipes classificadas são divididas em seis grupos de quatro e jogam entre si, com os dois melhores times de cada grupo e os quatro melhores terceiros colocados avançando às oitavas de final. A competição segue no formato eliminatório tradicional, com quartas de final, semifinais e disputas de bronze e ouro.

Os 16 times já garantidos no naipe masculino são Alison/Álvaro Filho (ES/PB), Ricardo/Vitor Felipe (BA/PB), Arthur Lanci/Thiago (PR/SC), André/George (ES/PB), Pedro Solberg/Oscar (RJ), Hevaldo/Vinícius (CE/ES), Luciano/Fernandão (ES), Léo Vieira/Jô (DF/PB), Moisés/Harley (BA/DF), Matheus Maia/Eduardo Davi (RJ/PR), Ramon Gomes/Bernardo Lima (RJ/CE), Marcus/Averaldo (RJ/TO), Léo Gomes/Bruno (RJ/AM), Arthur/Adrielson (MS/PR), Anderson Melo/Felipe Cavazin (RJ/PR) e Rafael/Renato (PB).

Já pelo torneio feminino, as 16 equipes que entram direto na fase de grupos, pela posição no ranking de entradas são: Ana Patrícia/Rebecca (MG/CE), Fernanda/Bárbara Seixas (RJ), Talita/Taiana (AL/CE), Tainá/Victoria (SE/MS), Carol Horta/Ângela (CE/DF), Juliana/Josi (CE/SC), Neide/Andrezza (AL/AM), Vivian/Vitoria (PA/RJ), Andressa/Diana (PB/RJ), Aline/Juliana Simões (SC/PR), Rafaela/Jéssica (PA), Val/Érica Freitas (RJ/MG), Izabel/Thati (PA/PB), Thamela/Ingridh (ES/PR), Solange/Teresa (DF/CE) e Naiana/Rosimeire Lima (CE/AL).

O Circuito Brasileiro 19/20 conta com sete etapas, três realizadas no segundo semestre deste ano, e quatro que acontecem no primeiro semestre de 2020. A estreia do tour aconteceu em Vila Velha (ES), em setembro, com ouro para Ágatha/Duda (PR/SE) e André Stein/George (ES/PB). Após Cuiabá, o torneio segue para Ribeirão Preto (SP), em novembro. Já as etapas de 2020 passarão por João Pessoa (PB), Maceió (AL), Aracaju (SE) e Rio de Janeiro (RJ).

Além das duplas campeãs de cada etapa, também existem os campeões gerais da temporada, somando a pontuação obtida nos sete eventos. A competição distribui R$ 46 mil às duplas campeãs dos dois naipes, e todos os times na fase de grupos são premiados. Ao todo, são distribuídos mais de R$ 500 mil por etapa.

O Banco do Brasil é o patrocinador oficial do voleibol brasileiro

Maria Clara vibra com ponto durante etapa do Circuito Brasileiro
Maria Clara vibra com ponto durante etapa do Circuito Brasileiro

Crédito: divulgação

Comente aqui