Data: 19/05/2022 18:59 / Autor: Redação

Um cabo de Internet conectando a Flórida ao Brasil em obras na próxima década


Crédito: Pixabay/ Pete Linforth

Gigantes da tecnologia estão investindo em cabos de internet subaquáticos para conectar mais pessoas ao universo online. Levando mais rapidez no acesso à internet enquanto aumenta o poder de acesso à informações de tráfego de dados dos usuários.

O Quê São os Cabos Submarinos

Os cabos que atravessam oceanos são responsáveis por transportar dados dentro de uma fibra óptica, viabilizando a comunicação via telefone e internet, conectando diferentes países em diferentes continentes. Graças a essas estruturas complexas, os provedores de internet podem ser utilizados em diferentes países, transmitindo dados em altíssima velocidade.

Os cabos subaquáticos são amplamente utilizados, se comparados às infraestruturas via satélite, pois o desenvolvimento, instalação e manutenção da estrutura de cabos é mais barata e transmite dados em maior velocidade.

O Impacto dos Serviços de Fibra Óptica para Usuários

Os cabos de fibra óptica que atravessam os oceanos, conectando milhões de pessoas em diferentes continentes a serviços de internet mais robustos, fazem parte da infraestrutura de grandes empresas de tecnologia. O fornecimento desse serviço por parte de empresas privadas, segundo a organização internacional de jornalismo Rest of World, é alarmante pois indica a volta ao monopólio dos serviços de telecomunicação e coloca o controle da comunicação pública nas mãos dessas corporações.

Para evitar que dados sejam localizados e informações de acesso e pesquisa sejam utilizadas para identificar seu perfil de consumidor, muitos usuários estão utilizando o serviço VPN. A VPN também garante maior segurança na navegação em rede aberta, ocultando o endereço IP do dispositivo e criptografando o tráfego de dados.

A Chegada do Firmina

A alta demanda por conteúdo online tem motivado as gigantes de tecnologia a investirem em mais cabos subaquáticos. Já são cerca de 500 cabos em operação ou em desenvolvimento em todo o mundo e o número de consórcios e investimentos privados para construção de novas infraestruturas tende a crescer.

No Brasil, de acordo com dados da Submarine Cable Map, já existem 15 cabos subaquáticos que conectam o Brasil a outros países.

Em 2021 a Google anunciou o início da construção do Firmina, o cabo subaquático mais longo do mundo que conectará a costa leste dos Estados Unidos com a Argentina, passando pelo Brasil e Uruguai. Segundo a gigante de buscas, o Firmina vai oferecer mais velocidade e baixa latência de forma segura para a entrega dos produtos Google.

A chegada do Firmina significará um aprimoramento no acesso aos serviços Google na América do Sul, transmitidos pelo provedor na América do Norte. Isso também significa que a gigante de tecnologia terá acesso à informação de milhares de usuários online e ampliará o controle sobre o funcionamento da internet nos próximos anos.

A Google iniciou seus investimentos no setor em 2008 e hoje possui investimentos em 16 cabos submarinos espalhados pelo mundo, além dos investimentos em sistemas de consórcios. Outras gigantes da tecnologia, como Amazon, Meta e Microsoft, também realizam investimentos em cabos subaquáticos em parceria com empresas de telecomunicação.

O avanço tecnológico e conectividade alcançada é um benefício para toda a população, porém está claro que há uma contrapartida para o fornecimento desses serviços, que é o acesso aos dados dos usuários de internet pelos provedores.

Comente aqui