Data: 29/03/2020 18:55 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo

Bolsonaro recomenda que todos os políticos do Brasil saiam às ruas

A recomendação do presidente contraria as orientações do Ministério da Saúde, que, na tarde de hoje, divulgou que o número de contaminações pelo novo coronavírus chegou a 4.256


O presidente Jair Bolsonaro recomendou, neste domingo, que todos os políticos do Brasil saiam às ruas e cumprimentem as pessoas para, na avaliação dele, entender a realidade do País nesses tempos de coronavírus. A recomendação do presidente contraria as orientações do Ministério da Saúde, que, na tarde de hoje, divulgou que o número de contaminações pelo novo coronavírus chegou a 4.256 e o total de mortes por covid-19 subiu para 136.

Em um vídeo postado nas redes sociais, Bolsonaro comentou o tour realizado por ele nas redondezas de Brasília na manhã de hoje. "Agora pouco estive em Ceilândia e Taguatinga. Fui ver na ponta da linha como está o nosso povo. E em especial os informais, os mais atingidos por essa onda de desemprego. Uma experiência que recomendo a todos os políticos do Brasil", disse o presidente.

“A gripe (a Covid-19), para as pessoas do grupo de risco, ela pode ser grave, mas está aí a hidroxicloroquina. Tem estudos já da França, chegou para mim agora. Aqui no Brasil, está sendo aplicada em vários hospitais. A Anvisa assinou protocolo de pesquisa, na última quinta-feira, com o (hospital) Albert Einstein, daqui a pouco eles vão demonstrar a realidade. Graças a Deus, Deus é brasileiro, a cura tá aí — disse Bolsonaro, sendo saudado por populares.” Cientistas desautorizam o estímulo ao uso do medicamento contra o Sars-CoV-2.

Nas ruas da Capital Federal, Bolsonaro disse que as pessoas querem voltar a trabalhar. Ele foi a um açougue e cumprimentou a população, causando alvoroço nas ruas. Após o tour, Bolsonaro voltou ao Palácio da Alvorada, por volta das 12h.

O passeio por Brasília ocorre no dia seguinte a reunião tensa entre o presidente e o ministro da Saúde, Luiz Henrique Mandetta, que alertou o Planalto sobre a gravidade da situação: “Estamos preparados para o pior cenário, com caminhões do Exército transportando corpos pelas ruas? Com transmissão ao vivo pela internet?”, questionou

Em outro momento, Mandetta deixou claro que, se o presidente insistisse em ir às ruas, seria obrigado a criticá-lo. E Bolsonaro rebateu que, nesse caso, iria demiti-lo. Em entrevista coletiva no sábado, 28, o ministro da Saúde foi incisivo e condenou atos pela abertura do comércio e disse que "os mesmos que fazem carreata vão ficar em casa daqui a duas semanas".

O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta populares em cidades no entorno de Brasília, na manhã deste domingo
O presidente Jair Bolsonaro cumprimenta populares em cidades no entorno de Brasília, na manhã deste domingo

Crédito: Reprodução / Agência O Globo

Comente aqui