Data: 18/11/2020 15:02 / Autor: Redação ABCdoABC / Fonte: Estadão Conteúdo

'Parabéns a vocês que não se mostraram frouxos', diz Bolsonaro citando covid-19

Depois de dizer que o Brasil precisa deixar de ser um País de "maricas" e enfrentar o coronavírus, Bolsonaro parabenizou produtores rurais por não terem sido "frouxos" durante a pandemia


Bolsonaro agradece aos homens do campo por não serem "frouxos"
Bolsonaro agradece aos homens do campo por não serem "frouxos"

Crédito: Reprodução

Em evento de entrega de títulos rurais em Goiás, Bolsonaro voltou a agradecer ao homem do campo por não ter parado suas atividades durante a crise sanitária do novo coronavírus.

"Graças a vocês (agricultores) que não pararam, nós da cidade continuamos sobrevivendo. Se 'o fica em casa, a economia a gente vê depois' fosse aplicado no campo teríamos desabastecimento, fome, miséria e problemas sociais", disse o mandatário. "Parabéns a vocês que não se mostraram frouxos na hora da angústia, como diz a passagem bíblica", declarou. Na sequência, o presidente citou que respeita todas as religiões e afirmou que a Bíblia é uma "caixinha de ferramenta para consertar o corpo humano".

No início de seu discurso, o presidente mencionou passagem bíblica que diz "se te mostrares frouxo no dia da angústia, sua força será pequena" (Provérbios 24, 10). O trecho bíblico já havia sido citado pelo chefe do Executivo em suas redes sociais, quando compartilhou fala traduzida do presidente Vladimir Putin, da Rússia, em que elogia a atuação de Bolsonaro durante a pandemia.

Mortes

O Brasil já registra mais de 166 mil mortes pelo novo coronavírus e a possibilidade de uma segunda onda de contágio já é ventilada. Apesar disso, o presidente segue na linha negacionista, para apoiadores na semana passada, Bolsonaro disse que a possibilidade de uma segunda onda era "conversinha" e que se ocorresse era preciso "enfrentar".

Depois do fracasso de seus apoiados nas eleições municipais, um Bolsonaro de postura impaciente e abatida tem sido regra, à exceção desta quarta, em que os elogios ao seu governo inflaram o ânimo presidencial. Boa parte dos cumprimentos veio do governador Ronaldo Caiado (DEM), que destacou ser a 10ª vez que Bolsonaro visita o Estado. No início da pandemia, Caiado chegou a romper com o presidente, mas ambos reataram ao longo do ano.

Comente aqui