Data: 30/07/2021 13:33 / Autor: Redação / Fonte: Unaerp

Tese de doutorado embasa projeto de ecoturismo na Ilha dos Arvoredos, em Guarujá

Modelo de educação ambiental utiliza o recanto como cenário do processo de ensino-aprendizagem


Ilha dos Arvoredos
Ilha dos Arvoredos

Crédito: Divulgação

Ao caminhar pela praia de Pernambuco, em Guarujá, litoral de São Paulo, é possível avistar uma ilhota bem perto da costa: a Ilha dos Arvoredos. Muito mais do que apenas um cartão postal da cidade, o local reúne projetos ambientais e científicos e um passado bastante pitoresco.

Localizado a 1,6 km da costa, o recanto está em fase de preparação para abertura ao público no mês de agosto, como parte do projeto de educação ambiental Mundo Sustentável, que é embasado na tese de doutorado de Priscilla Bonini Ribeiro, educadora e pesquisadora da Unaerp. A proposta, desenvolvida em uma parceria entre a Fundação Fernando Eduardo Lee e o Instituto Nova Maré, representa um programa disruptivo de ecoturismo e educação ambiental.

A história da Ilha dos Arvoredos tem início nas décadas de 1950 e 1960 a partir do pioneirismo e do sonho de vida do engenheiro Fernando Eduardo Lee. Lá, ele desenvolveu pesquisas em energias alternativas e sustentabilidade, criou soluções arquitetônicas para torná-la autossustentável em água potável e realizou diversos experimentos em fauna e flora, transformando-a em uma verdadeira ilha encantada.

Dando sequência ao trabalho já iniciado, a universidade Unaerp Guarujá, em parceria com a Fundação Fernando Eduardo Lee, realiza pesquisas científicas na ilha, que representa um grande laboratório a céu aberto, com o objetivo de continuar o legado desse patrimônio ambiental, científico e cultural.

Um dos trabalhos desenvolvidos criou um modelo de educação ambiental utilizando a ilha como cenário do processo de ensino-aprendizagem, a partir da tese de doutorado da educadora Priscilla Bonini Ribeiro, que também é pesquisadora da Fundação Fernando Eduardo Lee.

No estudo, são estabelecidas etapas da visitação educacional dentro do processo de metodologia ativa de aprendizagem. A ideia é fazer com que os visitantes não sejam meros expectadores e sim parte do processo, a fim de aprenderem conceitos como sustentabilidade, gestão de resíduos sólidos e educação ambiental.

A primeira fase do projeto Mundo Sustentável, que consiste em visitas colaborativas para viabilizar o que ainda falta realizar na ilha, terá um roteiro definido com informações em cada ponto de parada. “Essa interação com a ilha potencializará o aprendizado de maneira mais dinâmica, estimulando os estudantes a serem protagonistas nesse processo, trabalhando a sustentabilidade e pensando nas novas gerações”, destaca a Priscilla.

Para o presidente do Instituto Nova Maré, Bruno Tacon Cardoso, o projeto é importante por envolver questões ambientais na educação. “Disponibilizando o local para projetos e aplicações de novas tecnologias, queremos que todos conheçam a ilha e percebam que é possível ter um mundo sustentável”, ressalta.

O projeto Mundo Sustentável está à procura de parceiros para a sua viabilidade econômica, dentro dos conceitos de sustentabilidade.

Priscilla Bonini Ribeiro é educadora, pesquisadora, doutora em Tecnologia Ambiental, mestre em Educação e diretora-geral da Unaerp Campus Guarujá.

Foi Conselheira Estadual de Educação de São Paulo por dois mandatos, presidente da UNDIME (União dos Dirigentes Municipais de Educação do Estado de São Paulo) e ex-Secretária Municipal de Educação em Guarujá (SP).

Comente aqui