Data: 16/04/2013 16:00 / Autor: Redação / Fonte: Somar Meteorologia

Tempo seco e poluição contribui com os casos de doenças respiratórias

Massas de ar mais seco no outono e no inverno registram baixos índices de umidade do ar


O ar mais seco que cobre a cidade de São Paulo, nada mais é do que uma área de alta pressão. Segundo o meteorologista Márcio Custódio da Somar Meteorologia, essa massa de ar de alta pressão impede o movimento do ar na atmosfera (o que normalmente forçaria a dispersão dos poluentes). Como esse ar fica mais "parado" na atmosfera, a poluição dos carros e fábricas (poeira, enxofre do escapamento de veículos e restos de materiais queimados) não conseguem se dispersar na atmosfera. Os danos causados à saúde humana são enormes.

 “Para piorar o caso, os ventos costumam ser fracos em regiões de alta pressão, o que contribui para aumentar a poluição” - comenta Custódio. Os meses de outono e inverno são os preferenciais para essas massas de ar mais seco, que tem origem polar. “E por ser uma massa de ar seco, temos o registro de baixos índices de umidade do ar” - conclui o meteorologista.

Respire melhor

Essa associação de tempo seco e poluição aumenta os casos de doenças respiratórias, que são comuns nos meses de pouca chuva. É tempo de se hidratar, evitar exercícios ao ar livre nas horas de menor umidade do ar (das 10h às 17h) e não deixar de lado os umidificadores ou até mesmo o bom e velho balde com água.

O ar mais seco provoca desde ardência e ressecamento dos olhos, boca e nariz, até o agravamento de doenças respiratórias. Crianças, idosos e pessoas com problemas respiratórios são mais vulneráveis e precisam redobrar os cuidados. Então é melhor se cuidar!

Cuidados com a pele

A pele também merece atenção especial neste período. Evite banhos com água muito quente, pois provocam o ressecamento da pele. Creme hidratante também é uma boa pedida. Use soro fisiológico para lavar os olhos e as narinas, em caso de irritação das vias aéreas e dos olhos.

Comente aqui