Data: 10/04/2013 16:39 / Autor: Carlos Neder / Fonte: Interno

A saúde do servidor vai mal

(*)Artigo de Carlos Neder


Carlos Neder
Carlos Neder

É fato: o funcionário público estadual está adoecendo por falta de atendimento médico adequado. A ironia é que isso vale também para quem atua na área da saúde. A triste constatação vem do abandono em que se encontra o Hospital do Servidor Público Estadual (HSPE).

O que mais chama a atenção é que o que deveria ser considerado um importante instrumento de assistência ao funcionalismo, seus dependentes e as pessoas legalmente autorizadas a usar seus serviços não condiz com a atual realidade.

Estimativas apontam que o Instituto de Assistência Médica ao Servidor Público Estadual (Iamspe) precisa receber cerca de R$ 500 milhões anuais. O governo estadual investe apenas R$ 100 milhões. Ou seja, cinco vezes menos do que o esperado. É preciso lembrar que há um desconto, obrigatório, de 2% da folha de pagamento de todos os trabalhadores, sem a devida contribuição por parte do governo.

Os Centros de Assistência Médica ao Servidor (Ceamas), que poderiam prestar esse atendimento nos pequenos e médios municípios do interior, estão sem recursos para seu processo de expansão. As Santas Casas, que seriam uma outra alternativa, atravessam uma situação de penúria financeira e sem apoio técnico-administrativo para funcionar.

O pior é que as Santas Casas vêm sendo substituídas por contratos firmados com entidades privadas, que não contam com a mesma tradição do Iamspe e do HSPE.

A continuar dessa forma, não demora muito para chegarmos a um lamentável quadro. O descaso do governo estadual com a saúde dos seus servidores levará instituições como o HSPE, os Ceamas, o Iamspe e as Santas Casas para a UTI. Por isso, defendemos a contribuição paritária do governo para manter o Iamspe!

Carlos Neder é Deputado Estadual e coordenador do setorial de saúde do PT

Comente aqui