Data: 05/11/2020 10:31 - Alterado em: 30/03/2022 10:31 / Autor: Redação / Fonte: Itaú Cultural

Programação do Palco Virtual do Itaú Cultural

Temporada de abril do Palco Virtual exibe Apátridas, da Companhia Nova de Teatro, e Desmontagem Meia Noite, de Orun Santana


Apátridas
Apátridas

Crédito: Antônio Simas Barbosa

As duas temporadas do Palco Virtual de cênicas em abril, que têm início no dia 3 (domingo), levam ao canal do YouTube do Itaú Cultural peças ligadas à trajetória e herança cultural, seja como referência ou como temática. No Palco Virtual Ancestralidades entra em cartaz Desmontagem Meia Noite, vídeo que esmiúça a construção do espetáculo Meia-noite, a partir de cenas e conversas com convidados que vão do babalorixá Marconi Bispo ao mestre de capoeira, bailarino e educador Gilson Santana – inspiração da obra.  

Por sua vez, o Palco Virtual Adulto passa a disponibilizar o registro audiovisual da montagem multimídia Apátridas, da Companhia Nova de Teatro. Esta peça se baseia nos arquétipos de personagens da mitologia grega para refletir sobre a migração e o que define o ser humano no mundo atual, no qual cerca de 12 milhões de pessoas, segundo a ONU, vivem sem pertencer a um lugar e sem referências identitárias. 

Gravados, ambos os espetáculos do Palco Virtual Ancestralidades e do Palco Virtual Adulto permanecem 24h no ar todos os dias até às 23h59 de 1 de maio (domingo). Os dois também contam com interpretação LIBRAS e legendas.  

Ancestralidade

Seguindo a proposta do Itaú Cultural de oferecer ao público não somente espetáculos finalizados, mas também processos de produção de trabalhos cênicos, Desmontagem Meia-Noite mergulha na obra Meia Noite, do bailarino pernambucano, capoeirista, professor e pesquisador Orun Santana. No número original, onde a capoeira é elemento central, o artista se inspira na vivência com seu pai Gilson Santana, conhecido como Mestre Meia-Noite, para costurar imagens e memórias vindas da relação entre eles e de sua ancestralidade, em referências de danças negras e populares, e dos corpos brincantes.

Agora, em Desmontagem Meia-Noite, Santana parte de algumas cenas do espetáculo para percorrer caminhos e questionamentos da obra, situando-a dentro do contexto social, político e artístico no qual se vive atualmente. Em conversas com alguns dos convidados que integraram esse processo, como o artista cênico, educador e babalorixá Marconi Bispo; a historiadora, pesquisadora e crítica cultural Lorenna Rocha e o próprio Mestre Meia-noite, ele viaja pelo universo de símbolos e sentidos da obra. 

O Palco Virtual Ancestralidades faz um link direto das apresentações com a plataforma Ancestralidades https://www.ancestralidades.org.br, lançada em novembro de 2021 pelo Itaú Cultural e a Fundação Tide Setubal. A proposta é oferecer ao público, a partir das atividades, informações a respeito de artistas, movimentos, termos e temáticas ligadas às questões raciais, disponibilizadas de forma atualizada e estruturada na plataforma, ampliando olhares e repertório de discussões. 

Sem lugar

Inspirado em personagens como Kassandra, Hécuba, Prometeu e Hércules para falar de crises humanas, fluxos migratórios, devastação do território dos povos originários e a africanidade, Apátridas tem direção de Lenerson Polonini e dramaturgia de Carina Casuscelli. O elenco é formado pelas atrizes brasileiras Jacqueline Durans e a própria Carina, ao lado dos atores Miguel Kalahary e Isidro Sanene, angolanos residentes no Brasil. Eles apresentam solos que se interconectam e nos quais os personagens tensionam questões sobre identidade e não pertencimento.

Para Polonini os quatro personagens apresentam relações de poder, discórdia, ódio e injustiça, que dão lugar a vinganças cruéis e a destinos inevitavelmente trágicos. “As tragédias gregas são um território muito rico e por meio do seu universo nos deparamos com os conflitos éticos e morais e com as relações de poder do ser humano”, observa ele. “Na peça, os personagens tensionam questões sobre identidade e não pertencimento em um teatro de vozes dialogando com o tempo”, conclui ele, tendo como base, ainda, a informação de que hoje no mundo existem cerca de 12 milhões de apátridas, pessoas sem pátria, segundo a Organização das Nações Unidas, a ONU.

Montagem multimídia, Apátridas reafirma a vocação da Companhia Nova de Teatro para a criação de novas linguagens e dá continuidade à pesquisa e ao desenvolvimento de atividades e espetáculos com enfoque em temas emergentes. No espetáculo, os quatro personagens têm suas trajetórias atravessadas pela situação limite de não pertencer a um lugar e não ter referências identitárias. Assim, a trama reflete sobre o que define o ser humano.

Em 30 e 31 de março, o espetáculo tem apresentações presenciais em Milão, na Itália, onde concorre ao Premio Internazionale Teresa Pomodoro. Trata-se de um dos mais importantes da Europa, com um júri composto por nomes da cena mundial, como o japonês Tadashi Suzuki, diretor da Suzuky Company of Toga, e o russo Lev Abramovic Dodin, diretor artístico do Malyj Dramaticeskij Teatr. 

Sobre os convidados

Orun Santana é artista, bailarino, capoeirista, professor, pesquisador em dança e cultura afro de Recife, em Pernambuco, graduado pelo curso de Dança da Universidade Federal de Pernambuco, formado pelo Centro de Educação e Cultura Daruê Malungo, pelos Mestre Meia-noite e Vilma Carijós. Brincador da cultura popular, faz das vivências com as danças e brinquedos um lugar de pesquisa corporal e investigações artísticas para a cena. Atualmente é Diretor Artístico da Cia. de Dança Daruê Malungo, componente do elenco do Baile do Menino Deus e realiza o espetáculo solo intitulado Meia Noite, com o qual recebeu o prêmio de Melhor Bailarino no Festival Janeiro de Grandes Espetáculos. O espetáculo já integrou diversos festivais pelo Brasil, além da participação, em 2019, do 22º Festival Lusofonia (Macau-China) e da 11ª Semana Cultural da China dos Países da Língua Portuguesa, acompanhando o DJ Dolores nesta turnê.

A Companhia Nova de Teatro foi fundada em 2001, pelo diretor Lenerson Polonini em parceria com a atriz, dramaturga e figurinista Carina Casuscelli. Desde então, a companhia desenvolve um trabalho de pesquisa contínua a partir da performance, das artes do corpo e do universo das artes visuais. A Companhia Nova de Teatro é uma companhia aberta e a cada novo projeto convida atores, bailarinos e artistas de diversas áreas para colaborarem com suas produções. O teatro multimídia desenvolvido pela companhia procura explorar a tridimensionalidade do palco e a relação da arte com o espaço urbano. Ao longo da pandemia da covid-19, realizou a série Diálogos, com objetivo de pensar sobre a criação artística e a sociedade em tempos de pandemia, além da temporada online de A Cripta de Poe, em versão site specific, gravado e transmitido no canal da Vila Itororó e das peças do projeto Trilogia Foreman.

SERVIÇO

Palco Virtual Ancestralidades

Desmontagem Meia Noite

Com Orun Santana 

De 3 de abril (domingo) a 1 de maio (domingo)

Duração:  35 minutos 

Classificação Indicativa: Livre

No Palco Virtual no Youtube do Itaú Cultural www.youtube.com/itaucultural  

Disponível 24 horas por dia, a partir das 9h do dia 1 de abril às 23h59 do dia 1 de maio.

Essa atividade contará com interpretação LIBRAS e legenda 

Direção Pesquisa e Roteiro: Luara Olívia e Orun Santana

Direção de Fotografia: Jão Vicente

Câmera Adicional: Luara Olívia

Produção Audiovisual: Gira Conteúdo Criativo

Trilha Sonora: Vitor Maia

Palco Virtual Adulto

Apátridas

Com Companhia Nova de Teatro

De 3 de abril (domingo) a 1 de maio (domingo)

Duração:  65 minutos 

Classificação Indicativa: 12 anos (descrição de violência)

No Palco Virtual no Youtube do Itaú Cultural www.youtube.com/itaucultural  

Disponível 24 horas por dia, a partir das 9h do dia 3 de abril às 23h59 do dia 1 de maio.

Essa atividade contará com interpretação LIBRAS e legenda 


Comente aqui