Data: 09/04/2013 13:41 / Autor: Redação / Fonte: Texto & Imagem

Prevenção das crises alérgicas respiratórias

Poeira, ácaros e mofo são os vilões nas estações mais frias do ano


 

SuperSAN – empresa especializada em controle de qualidade do ar interno – é uma ferramenta poderosa na prevenção de doenças como rinite alérgica, asma, bronquite alérgica e sinusite

Com a chegada das estações mais frias, outono e inverno, aumenta a incidência de doenças alérgicas. Segundo pesquisas, as alergias atingem 30% a 35% dos brasileiros e, com a queda da temperatura, a tendência é com que elas se manifestem em maior intensidade. O frio, somado à baixa umidade do ar e a uma maior concentração dos poluentes, chega a aumentar em até 40% os casos de doenças respiratórias. “As temperaturas mais baixas obrigam a população a manter a casa bem fechada contra o frio e, é aí que mora o problema. Ambientes fechados facilitam a proliferação de microorganismos nocivos à saúde”, comenta o diretor da SuperSAN - empresa especializada em controle de qualidade do ar interno -  Eric Stocker. Segundo a Organização Mundial de Saúde, estima-se que uma em cada três pessoas no mundo, neste exato momento, esteja em um ambiente doente. “Um exemplo assustador é o colchão, onde é possível encontrar mais de 2 milhões de ácaros. Outro dado que assusta é que 25% do peso de um travesseiro são de ácaros e seus dejetos”, comenta.

Quem mais sofre nessa época do ano são crianças e idosos, mas quando a temperatura começa a cair e a umidade do ar é baixa, qualquer pessoa fica vulnerável a desenvolver uma doença respiratória. Segundo dados da ASBAI - Associação Brasileira de Alergia e Imunopatologia - a asma acomete de 10% a 25% da população brasileira, sendo responsável, anualmente, por 400 mil internações hospitalares (DATASUS 2001), e um número incontável de atendimentos ambulatoriais. A rinite compromete até 30% da população, a doença é a mais comum na infância e atinge cerca de 40% da população pediátrica.  A poeira, os ácaros e o mofo são os grandes culpados pela maior parte das crises alérgicas.

Prevenção - Para acabar com o mofo e os ácaros, agentes causadores de alergias, não bastam apenas as receitas caseiras de água com vinagre ou água sanitária, pois elas eliminam a superfície do problema. A boa notícia é que já existe uma empresa com um serviço inédito capaz acabar com esse e outros microorganismos, a SuperSAN. A empresa trabalha com um sistema de controle microbiológico composto por sanitização de ambientes (realizado via nebulização a frio), extração física de microrganismos e higienização de sistemas de climatização. O sistema elimina e impede a proliferação de bactérias gram-positivas, gram-negativas, ácaros e fungos (mofo) que provocam patologias decorrentes de contaminação microbiana.

O sistema de controle microbiológico da SuperSAN é o único no mercado com soluções para os três ambientes que compõe o ecossistema do ambiente fechado: Setor Primário (casa de máquinas e equipamentos de climatização), Setor Secundário (Dutos de ar condicionado e seus componentes) e Setor Terciário (escritórios e ambientes corporativos fechados com circulação de pessoas). “Isso significa que o cliente pode contar com uma solução que visa atender as normas da legislação vigente (Portaria 3523 do Ministério da Saúde), bem como proteger os colaboradores da companhia, evitando a contaminação cruzada que é responsável pelo absenteísmo nos ambientes fechados, explica Stocker. É uma ferramenta poderosa na prevenção de doenças como rinite alérgica, asma, bronquite alérgica e sinusite. A solução, uma técnica totalmente brasileira e inédita, protege, previne e conserva o local sanitizado por até seis meses. Não deixa resíduos, cheiro ou manchas. A SuperSAN conta com aprovação do Ministério da Saúde (ANVISA) e Ministério da Agricultura, além de laudos de eficácia e toxicidade emitidos por laboratórios conceituados como Ecolyzer e Microbiotécnica.

Comente aqui